Mata Nacional do Bussaco

A Mata Nacional do Bussaco é mágica! Tem um conjunto de características únicas que a tornam um espaço especial em diversas áreas! 
Na botânica, as árvores majestosas de diversas espécies são motivo de atracção para botânicos e para quem quer usufruir de um espaço revigorante.
Na religião, os Carmelitas Descalços foram importantes ao tornaram o Bussaco num espaço de contemplação e deixando de fora os luxos mundanos. As capelas que se estendem até à Cruz Alta, bem como o Convento de Santa Cruz do Bussaco, também são importantes na afirmação da sua  espiritualidade.
No Turismo, o Palace Hotel do Bussaco é um marco e um dos hóteis mais belos do mundo. 
E há mais motivos para a paixão pelo Bussaco.
Pode-se saber mais sobre as maravilhas do Bussaco neste programa da TSF Encontros com o património.

Por isso, estou convencido que a constituição da Fundação Mata do Bussaco (FMB), foi uma decisão não só correcta, mas absolutamente necessária. Tem tido um papel importante na divulgação do Bussaco, promovendo actividades diversas sempre centradas no Bussaco. Estas actividades são importantes para provocar as paixões latentes ou consumadas. E tem-se ouvido falar mais do Bussaco nestes últimos dois anos. E Coimbra, Aveiro e Viseu são cidades importantes e devem sentir a Mata Nacional do Bussaco e seu património como fazendo parte da sua beleza. Devia ser um motivo de união e integração de toda uma região.

Mas há algo completamente inadiável. A estratégia de longo prazo para o Bussaco. O que se quer para o Bussaco! E mais, o que tem a FMB para propor como estratégia a longo prazo. É fundamental ter a capacidade de definir o longo prazo, sem por em causa o curto prazo. Isto é conseguido através de uma grande capacidade de comunicação.

Estou convencido que existe uma estratégia de longo prazo para o Bussaco, até pelas instituições que constituem a FMB. Mas essa estratrégia deve ser comunicada e deverá envolver a sociedade civil. Até porque esse será um factor que poderá gerar a confiança da população na FMB. E a FMB não se pode excluir da necessidade de explicar o sucedido sobre a questão do abate ilegal de árvores (http://ecosfera.publico.pt/noticia.aspx?id=1476259). A FMB deve ganhar a confiança e prestar contas não só às entidades que a constituem, mas também às populações que vivem apaixonadamente o Bussaco.

Espero que os responsáveis da FMB tenham a arte e o engenho para cuidar da Mata, para a dar a conhecer e para ir disseminando a paixão pela Mata, de forma a que todos possam defender e usufruir de um espaço que, em diferentes vertentes, é mágico.
Enviar um comentário