...você...

... dos sítios mais improváveis, de pessoas que nunca contaria, ouço com frequência tratar o interlocutor por você... Se estivessemos no Brasil, seria natural.
Mas sempre cresci a ouvir dizer você é estrebaria. E para quem tem contacto com o público, o cuidado com a utilização de determinadas palavras, pode fazer a diferença entre o sucesso ou insucesso da relação.

formação política

Fazendo um exercício académico, qual seria o salário minimo a pagar passados 12 anos (base 60 contos i.e, 300€) utilizando uma correcção proporcional à correcção relativa a determinadas despesas para determinadas funções, publicadas no Decreto-Lei 40/2011 de 22 de Março
Segundo correcção de despesas de Director Geral: 1999 - 300€ | Valor actual seria 2250€
Segundo correcção de despesas de Presidente de Câmara: 1999 - 300€ | Valor actual seria  1800€

Segundo correcção de despesas de Ministros: 1999 - 300€ | Valor actual seria 450€

Segundo correcção de despesas de Primeiro Ministro: 1999 - 300€ | Valor actual seria 450€.

O mais grave da questão parece o timming para que este DL entre em vigor! Crise, crise, crise... mas no final, para determinadas situações, abrem-se os cordões à bolsa. E provavelmente, estas despesas têm um sentido tão óbvio, mas tão óbvio, que não é necessário explicar a sua finalidade. Eu é que não percebo qual o motivo porque o primeiro-ministro (a titulo de ezemplo) necessitaria de despesas de 11,2 M€!

É para entender questões como a anterior, que a formação política é relevante. Assim, passo a partilhar a informação que tive através do aventar, sobre um curso de político em 10 lições. É pertinente para quem quiser apostar na carreira de político visto que, aparentemente, muitos dos actuais políticos vão para a reforma, ou para umas quaisquer administrações, abrindo espaço para mais uns quantos políticos de carreira:

cuidar do coração...


Já tinha recebido esta informação por mail algumas vezes! Desta vez, recebi-a de um médico o que aumenta significativamente a credibilidade do mail recebido. Está descrita a seguir uma forma de reagir face a sintomas de um ataque de coração. Espero que não seja necessário aplicar a nenhum de nós. No entanto…

Digamos (apenas por hipótese) que são 18:15 e estás de regresso a casa, depois de um dia de trabalho especialmente difícil.
Estás realmente cansado e frustrado……
Estás bastante tenso e mal disposto ….
Repentinamente, experimentas uma forte dor no peito, que se difunde até ao teu braço e, até mais acima, à mandíbula.


Estás a 8 km do hospital mais próximo de casa.
Desafortunadamente, não sabes se conseguirás fazer essa distância e chegar lá.


QUE DEVO FAZER ???


Mesmo que tenhas sido treinado em rcp (ressucitação cardio pulmonar), provavelmente o instrutor do curso não te disse como aplicá-la a ti mesmo !!!
Como poderás sobreviver a um ataque do coração, quando te encontrares só?
Muitas pessoas encontram-se sozinhas, quando sofrem um ataque de coração.
Sem ajuda, uma pessoa na qual o coração bata incorrectamente e que comece a sentir-se desmaiar, só tem 10 segundos, antes de perder a conciência.
Que fazer ??


RESPOSTA:
NÃO ENTRES EM PÂNICO, COMEÇA A TOSSIR REPETIDA E VIGOROSAMENTE.
Deves respirar profundamente, antes de cada tosse. A tosse deve ser profunda e prolongada, como quando se produz um forte ataque de tosse, proveniente do diafragma .
Cada inalação e cada tosse devem ser repetidas de dois em dois segundos, aproximadamente, e sem parar, até que se consiga uma ajuda, ou até que o coração esteja, de novo, a bater normalmente.
As inspirações profundas levam oxigénio aos pulmões e os movimentos de contracção da tosse comprimem o coração e mantêm o sangue a circular. A pressão sobre o coração também ajuda a recuperar o ritmo cardíaco normal. Desta maneira, as vítimas de um ataque de coração podem chegar ao hospital e sobreviver.


Article published on n.º 240 of journal of general hospital rochester
Pediram para compartilhar esta informação com tantas pessoas quantas me fosse possível. E se a sua idade for inferior a 25 ou 30 anos, não penses que essa pessoa não é propensa a um ataque de coração. Hoje em dia, devido à mudança do nosso estilo de vida, os ataques do coração atingem pessoas de todas as idades.
Sê amigo do teu amigo e, por favor, envia este artigo a tantos pessoas quantas te seja possível. ^_^ AS
http://meababel.blogspot.com/2011/01/fonte-da-eterna-juventude.html

a excelência de Souto Moura... um paliativo de luxo

Casa das histórias | Pedreira de Braga | Dep. Geociências da U. Aveiro
O prémio Pritzker 2011, o maior galardão mundial na área da arquitectura (dizem que é o Nobel da arquitectura), foi atribuido ao arquitecto Souto Moura. Um prémio que dizem ser de carreira.
Na imagem estão presentes 3 exemplos da sua obra. A casa das histórias, que reune a grandiosidade de duas artes e de dois artistas termosféricos! O estádio de Braga, monumento encastrado na pedreira e a que ninguém fica indiferente! E o Departamento de Geociências da Universidade de Aveiro, uma obra de arte incorporada num campus que é, per si, uma grandiosa obra de arte e, simultaneamente, uma exposição permanente de arquitectura!
E se desde sempre tenho ouvido falar de Siza Vieira como o Zeus desse Olímpo Arquitectónico Lusitano, Souto Moura é identificado claramente como Apólo, tais são os seus atributos, funções e influência no meio!
Assim, posso afirmar que:
Mesmo sendo um leigo em arquitectura, sinto a grandiosidade da obra!
Mesmo sendo um leigo em arquitectura, percebo a inovação da obra!
Mesmo sendo um leigo em arquitectura, compreendo a união entre a estética e a utilidade na obra!
Mesmo sendo um leigo em arquitectura, apercebo-me do respeito generalizado pelo autor!


Nestes momentos em que tudo parece negro, é fantástico aparecerem estes paliativos de luxo. É certo que, como todos os paliativos, alivia mas não cura. Mas qualquer coisa que alivie o estado actual da nação, é positivo.
E este tem que ser um motivo de orgulho de todos nós! Não só porque há alguém entre nós que é reconhecido, mas também porque todos beneficiamos directamente da obra!
Parabéns Souto Moura! Obrigado, Souto Moura!

http://ipsilon.publico.pt/artes/texto.aspx?id=280433
http://www.ionline.pt/conteudo/113747-nobel-da-arquitectura-eduardo-souto-moura

Apesar de Siza há mais arquitectura portuguesa!
Pavilhão de Portugal em Xangai!

a selecção de todos nós...

Pepe é um jogador do qual eu gosto. Foi muito útil ao FCPorto na conquista de alguns títulos e é provavelmente o único jogador actual da selecção nacional de futebol nascido no Brasil que sinto que sente a camisola de Portugal (a tal que não deveria ser vermelha). No entanto, deve estar mais concentrado nos jogos da selecção, do que no que se passa à sua volta. E falar menos! (ouvir declarações) É dificil não haver polémicas à volta da selecção, pelo que a capacidade de se abstrair dos acontecimentos da envolvente se torna mais importante. Talvez Pepe deva treinar essa capacidade. Até para seu próprio benefício. Porque há aquele aforismo que diz que quem diz o que quer, ouve o que não gosta.
Queiroz pôs em prática esse aforismo, com uma dureza de quem está revoltado pelos acontecimentos recentes e arrasta tudo o que lhe aparece à frente. Enquanto o rancor não passar, mais episódios podem acontecer. Mas falou de forma irrepreensível e com desenhos orais, para ser bem entendido! (Até dói e não foi a mim!). Grandes reviangas linguisticas! E num momento em que lhe estava a ser reconhecida razão por um tribunal. Agora que desabafou, esper que olhe para o futuro e deixe que a selecção funcione normalmente. Mesmo que tenham sido cometidas injustiças, deverá deixar de pensar nisto, ou irá sendo corroído interiormente por sentimentos negativos.
O sr. tranquilidade, Paulo Bento subiu mais uns pontos na minha consideração que já era alta desde que o vi em carne e osso no jogo Académica-Porto. Demonstrou ser um Sr. focalizando-se no que é importante e não alimentando polémicas (ler aqui!). Só a sua postura já faz com que goste da sua presença na selecção. E os resultados também vão ajudando.

Com isto, concluo que o futebol será bem melhor se os jogadores se concentrarem em jogar, os treinadores em treinar e os seleccionadores em seleccionar. É simples!

as camisolas da selecção de todos nós

As camisolas da selecção portuguesa de futebol deveriam ser brancas, ou pretas. Poderiam também ser amarelas, roxas, laranjas, cinzentas e até fuschia. Cores neutras. Mas vermelhas não! Fico com um problema doméstico por resolver! Como é que posso ser coerente, quando digo durante a maioria dos jogos que o azul é o melhor, e depois nestes jogos da selecção digo que quero que os vermelhos marquem?
Claro que isto é complicado!
O melhor é ver o canal Panda para não criar confusões no D.

dois grandes Homens, uma pequena homenagem

Artur Agostinho tem tido várias homenagens ao longo destes dias. São merecidas.  Faço a minha homenagem através do PC, pessoa que sabe muito bem como agir nestes momentos: Chá com porradas: da partida: "(Viveu, sem interrupções, do dia de Natal de 1920 até hoje) Um a um, vão indo. E a seguir iremos nós e depois quem de nós bebeu..."

Devo dizer que me parece que há outra pessoa que merece também ser homenageado: Adriano Lucas. Sem conhecer a pessoa, alguém que está 66 anos na primeira página de um Diário, é obra. Sem grandes juízos de valor, é com certeza alguém de grande dimensão. Podemos gostar mais, ou menos, mas o Diário de Coimbra é uma instituição muito respeitada em toda a região. Deve-o em grande parte a Adriano Lucas.

Que subam em paz, e desejo que quem fica por cá, tenha a arte e o engenho de substituir com mérito quem teve quem foi já foi chamado.

amigos desalinhados

Agora que se avizinham tempos difíceis, é bom ter presente a mensagem que a música seguinte incorpora.
Nas discussões sobre política que devem estar por aí a chegar, é normal que se criem situações de atrito/conflito. Nas discussões futebolísticas sempre presentes, também. Sem estar legitimado para qualquer tipo de conselhos, pois cada um é senhor de si e sabe como actuar, não deixo de vos propor uma música. Pode ser a música de fundo nos momentos mais entusiastas da argumentação!
Para alguns amigos que volta e meia passam os olhos por aqui, podem não concordar com as opiniões, mas coloquem a música de fundo!

Ziggy Marley


Segue a letra:

I wanna thank you for the things you've done
I wanna thank you for your generosityand
I'll never be alone, that's because, that's because you are my friend
that's because, that's because you are my friend



Been through thick and thin together
through the ups and downs, yet we still remain
and I can talk to you forever


( Chorus )


Before I met you, I was real low, now everyone know
now that I know you hey I'm real high
I wanna thank you for the day and nights
I wanna thank you for the breath of life
without you I'd be lost


( Chorus )


Just as long, just as long as you're my friend
just as long, just as long as you're my friend
that's because you are my friend, you are my friend

miniaturas da vida que fazem a diferença

Parece-me que esta curta é adequada para momentos mais dificeis como o que estamos agora a ter:


Rita Pires from Cesar Nery on Vimeo.

A ter em conta a frase "miniaturas da vida que fazem a diferença"

Mia Couto e as gerações à rasca...


Existe uma geração à rasca?
Existe mais do que uma! Certamente!


Está à rasca a geração dos pais que educaram os seus meninos numa abastança caprichosa, protegendo-os de dificuldades e escondendo-lhes as agruras da vida. Está à rasca a geração dos filhos que nunca foram ensinados a lidar com frustrações. A ironia de tudo isto é que os jovens que agora se dizem (e também estão) à rasca são os que mais tiveram tudo. Nunca nenhuma geração foi, como esta, tão privilegiada na sua infância e na sua adolescência. E nunca a sociedade exigiu tão pouco aos seus jovens como lhes tem sido exigido nos últimos anos.


Deslumbradas com a melhoria significativa das condições de vida, a minha geração e as seguintes (actualmente entre os 30 e os 50 anos) vingaram-se das dificuldades em que foram criadas, no antes ou no pós 1974, e quiseram dar aos seus filhos o melhor. Ansiosos por sublimar as suas próprias frustrações, os pais investiram nos seus descendentes: proporcionaram-lhes os estudos que fazem deles a geração mais qualificada de sempre (já lá vamos...), mas também lhes deram uma vida desafogada, mimos e mordomias, entradas nos locais de diversão, cartas de condução e 1º automóvel, depósitos de combustível cheios, dinheiro no bolso para que nada lhes faltasse. Mesmo quando as expectativas de primeiro emprego saíram goradas, a família continuou presente, a garantir aos filhos cama, mesa e roupa lavada. Durante anos, acreditaram estes pais e estas mães estar a fazer o melhor; o dinheiro ia chegando para comprar (quase) tudo, quantas vezes em substituição de princípios e de uma educação para a qual não havia tempo, já que ele era todo para o trabalho, garante do ordenado com que se compra (quase) tudo. E éramos (quase) todos felizes.


Depois, veio a crise, o aumento do custo de vida, o desemprego, ... A vaquinha emagreceu, feneceu, secou. Foi então que os pais ficaram à rasca. Os pais à rasca não vão a um concerto, mas os seus rebentos enchem Pavilhões Atlânticos e festivais de música e bares e discotecas onde não se entra à borla nem se consome fiado. Os pais à rasca deixaram de ir ao restaurante, para poderem continuar a pagar restaurante aos filhos, num país onde uma festa de aniversário de adolescente que se preza é no restaurante e vedada a pais. São pais que contam os cêntimos para pagar à rasca as contas da água e da luz e do resto, e que abdicam dos seus pequenos prazeres para que os filhos não prescindam da internet de banda larga a alta velocidade, nem dos qualquercoisaphones ou pads, sempre de última geração.


São estes pais mesmo à rasca, que já não aguentam, que começam a ter de dizer "não". É um "não" que nunca ensinaram os filhos a ouvir, e que por isso eles não suportam, nem compreendem, porque eles têm direitos, porque eles têm necessidades, porque eles têm expectativas, porque lhes disseram que eles são muito bons e eles querem, e querem, querem o que já ninguém lhes pode dar!


A sociedade colhe assim hoje os frutos do que semeou durante pelo menos duas décadas.
Eis agora uma geração de pais impotentes e frustrados. Eis agora uma geração jovem altamente qualificada, que andou muito por escolas e universidades mas que estudou pouco e que aprendeu e sabe na proporção do que estudou. Uma geração que colecciona diplomas com que o país lhes alimenta o ego insuflado, mas que são uma ilusão, pois correspondem a pouco conhecimento teórico e a duvidosa capacidade operacional. Eis uma geração que vai a toda a parte, mas que não sabe estar em sítio nenhum. Uma geração que tem acesso a informação sem que isso signifique que é informada; uma geração dotada de trôpegas competências de leitura e interpretação da realidade em que se insere. Eis uma geração habituada a comunicar por abreviaturas e frustrada por não poder abreviar do mesmo modo o caminho para o sucesso. Uma geração que deseja saltar as etapas da ascensão social à mesma velocidade que queimou etapas de crescimento. Uma geração que distingue mal a diferença entre emprego e trabalho, ambicionando mais aquele do que este, num tempo em que nem um nem outro abundam. Eis uma geração que, de repente, se apercebeu que não manda no mundo como mandou nos pais e que agora quer ditar regras à sociedade como as foi ditando à escola, alarvemente e sem maneiras. Eis uma geração tão habituada ao muito e ao supérfluo que o pouco não lhe chega e o acessório se lhe tornou indispensável.


Eis uma geração consumista, insaciável e completamente desorientada.
Eis uma geração preparadinha para ser arrastada, para servir de montada a quem é exímio na arte de cavalgar demagogicamente sobre o desespero alheio.


Há talento e cultura e capacidade e competência e solidariedade e inteligência nesta geração? Claro que há. Conheço uns bons e valentes punhados de exemplos! Os jovens que detêm estas capacidades-características não encaixam no retrato colectivo, pouco se identificam com os seus contemporâneos, e nem são esses que se queixam assim (embora estejam à rasca, como todos nós). Chego a ter a impressão de que, se alguns jovens mais inflamados pudessem, atirariam ao tapete os seus contemporâneos que trabalham bem, os que são empreendedores, os que conseguem bons resultados académicos, porque, que inveja!, que chatice!, são betinhos, cromos que só estorvam os outros ( como se viu no último Prós e Contras) e, oh, injustiça!, já estão a ser capazes de abarbatar bons ordenados e a subir na vida.


E nós, os mais velhos, estaremos em vias de ser caçados à entrada dos nossos locais de trabalho, para deixarmos livres os invejados lugares a que alguns acham ter direito e que pelos vistos - e a acreditar no que ultimamente ouvimos de algumas almas - ocupamos injusta, imerecida e indevidamente?!!!


Novos e velhos, todos estamos à rasca.
Apesar do tom desta minha prosa, o que eu tenho mesmo é pena destes jovens.
Tudo o que atrás escrevi serve apenas para demonstrar a minha firme convicção de que a culpa não é deles. A culpa de tudo isto é nossa, que não soubemos formar nem educar, nem fazer melhor, mas é uma culpa que morre solteira, porque é de todos, e a sociedade não consegue, não quer, não pode assumi-la. Curiosamente, não é desta culpa maior que os jovens agora nos acusam.
Haverá mais triste prova do nosso falhanço?

portugal e os sapos cozidos


Finalmente! O país deu um safanão no estado da nação. Estamos à beira do abismo e estávamos quase a dar um passo em frente. Acredito que pode ser o primeiro passo para alterar esta morte lenta a que estávamos a ser sujeitos.
Ao ver o estado da situação, lembro-me das histórias sobre experiências dos sapos que vamos ouvindo:
Há experiências com sapos que nos mostram que se forem colocados numa panela conjuntamente com a água do seu habitat à temperatura normal, o sapo fica dentro da água imóvel, enquanto a água aquece e a temperatura acaba por cozer o sapo com as consequências que todos sabemos.
No entanto, se a água estiver a escaldar, e colocarmos o sapo na água a ferver, o sapo reage de imediato e manda um salto que o retira da água.

Está visto que o sapo, agora deu um salto! Devem ter metido água a ferver na panela, porque até agora estávamos a ser cozidos em lume brando!
Não sei o que vai acontecer, mas alguma coisa tinha que mudar neste país!
Há sempre algum receio da mudança! Mas é necessária!
Faça-se democracia!

pecs e afins

país de brandos costumes

Cresci a ouvir dizer que Portugal é um país de brandos costumes. Sempre assumi isso acriticamente, como uma verdade absoluta. Para que essa característica lusitana continue de pé, e imaculada, vou deixar de ver televisão e ouvir rádio esta semana. Espero assim ultrapassar esta crise política, e as eleiçoes no Sporting, que também estão agrestes.
Provavelmente, vou ter que que prolongar esta fase mais uma semana, até passar o Benfica vs Porto (irá este acontecimento forçar o decreto de estado de sítio?).
Até lá, vou actualizar alguns CD's para ouvir durante as viagens e vou-me tornar adepto do canal Panda. Vou ainda consultar no dicionário o significado de brando!

Pais

Emociono-me sempre que vejo:



Parabéns a todos os pais, e aos que o serão!
Já agora, também às mães!

Dia do Pai

O Dia do Pai teve origem na antiga Babilónia, quando um jovem, Elmesu, moldou em argila o primeiro cartão no qual desejava sorte, saúde e longa vida a seu pai.

Os cristãos comemoram o dia do Pai a 19 de Março, dia de S. José!
S. José era o "pai na terra" de Jesus, o pai não biológico!
Um grande bem haja para a igreja! Amanhã há festa no Largo de S. José!
Toca a comemorar!!!

Chico... história triste... história bonita... história triste

Já sabemos que o Chico é grande, mas se dúvidas houvesse...:


Letra: vejam com atenção - merece:

De tudo que é nego torto

Do mangue e do cais do porto
Ela já foi namorada.
O seu corpo é dos errantes,
Dos cegos, dos retirantes;
É de quem não tem mais nada.
Dá-se assim desde menina
Na garagem, na cantina,
Atrás do tanque, no mato.
É a rainha dos detentos,
Das loucas, dos lazarentos,
Dos moleques do internato.
E também vai amiúde
Co'os os velhinhos sem saúde
E as viúvas sem porvir.
Ela é um poço de bondade
E é por isso que a cidade
Vive sempre a repetir:

"Joga pedra na Geni!
Joga pedra na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!"


Um dia surgiu, brilhante
Entre as nuvens, flutuante,
Um enorme zepelim.
Pairou sobre os edifícios,
Abriu dois mil orifícios
Com dois mil canhões assim.
A cidade apavorada
Se quedou paralisada
Pronta pra virar geléia,
Mas do zepelim gigante
Desceu o seu comandante
Dizendo: "Mudei de idéia!
Quando vi nesta cidade
Tanto horror e iniqüidade,
Resolvi tudo explodir,
Mas posso evitar o drama
Se aquela formosa dama
Esta noite me servir".

Essa dama era Geni!
Mas não pode ser Geni!
Ela é feita pra apanhar;
Ela é boa de cuspir;
Ela dá pra qualquer um;
Maldita Geni!

Mas de fato, logo ela,
Tão coitada e tão singela
Cativara o forasteiro.
O guerreiro tão vistoso,
Tão temido e poderoso
Era dela, prisioneiro.
Acontece que a donzela
(E isso era segredo dela),
Também tinha seus caprichos
E ao deitar com homem tão nobre,
Tão cheirando a brilho e a cobre,
Preferia amar com os bichos.
Ao ouvir tal heresia
A cidade em romaria
Foi beijar a sua mão:
O prefeito de joelhos,
O bispo de olhos vermelhos
E o banqueiro com um milhão.


Vai com ele, vai Geni!
Vai com ele, vai Geni!
Você pode nos salvar!
Você vai nos redimir!
Você dá pra qualquer um!
Bendita Geni!


Foram tantos os pedidos,
Tão sinceros, tão sentidos,
Que ela dominou seu asco.
Nessa noite lancinante
Entregou-se a tal amante
Como quem dá-se ao carrasco.
Ele fez tanta sujeira,
Lambuzou-se a noite inteira
Até ficar saciado
E nem bem amanhecia
Partiu numa nuvem fria
Com seu zepelim prateado.
Num suspiro aliviado
Ela se virou de lado
E tentou até sorrir,
Mas logo raiou o dia
E a cidade em cantoria
Não deixou ela dormir:

"Joga pedra na Geni!
Joga bosta na Geni!
Ela é feita pra apanhar!
Ela é boa de cuspir!
Ela dá pra qualquer um!
Maldita Geni!

grande Braga!... e os outros também!


Braga, Benfica e Porto estão de parabéns!
Continuo a acreditar numa final portuguesa. Ainda é possível!

Mas hoje, os holofotes têm que ir para o Braga! Fez história... Fantástico!

http://meababel.blogspot.com/2011/03/youll-never-walk-alone.html

eureka - a subida i

Uma minhoca está no fundo de um buraco com quarenta metros. Pode rastejar até ao topo a uma média de 4 metros por dia, mas durante a noite ela cai três metros. A esta média, quanto tempo demorará a minhoca a atingir o topo do buraco?

0.80€ - é um luxo



Gasóleo para iates de Luxo a 0,80€ - é um luxo!
sol: iates de luxo

o porteiro do oasis

A história seguinte é uma metáfora (ligeiramente adaptada)à visão de cada um de nós sobre o mundo. A nossa percepção da realidade depende mais de nós do que do contexto em que estamos (com a devida ressalva para situações extremas).
Para ler com calma e reflectir!
Tentem perceber o que o porteiro vos diria!

Havia um aprendiz de porteiro que estava a ter uma semana de estágio com porteiros profissionais. Nesse momento estava a ter um estágio com o porteiro do oásis! Estavam num oásis em que nem todos podiam entrar, cabendo ao porteiro fazer a selecção.


Durante essa semana, chegou um viajante de longe, que pretendia viver no oásis! Perguntou ao porteiro:
“Como são as pessoas por aqui? O ambiente é bom?”
O porteiro respondeu com outra questão: “Como eram as pessoas do sítio de onde vem?” O viajante respondeu: “eram óptimas! Essencialmente boa gente, e sempre disposta a ajudar”
Respondeu o porteiro: “exactamente como por aqui! Vai dar-se bem, porque as pessoas são muito parecidas com as que me descreveu!” e deixou o viajante entrar!


No dia seguinte surgiu um novo viajante, numa situação parecida. À pergunta sobre como eram as pessoas, o viajante respondeu: “eram desconfiadas e sempre prontas para falar mal. O ambiente era desagradável e não se podia confiar em ninguém!” O porteiro respondeu: “aqui as pessoas são muito semelhantes à descrição que está a fazer. Proponho arranjar-lhe os mantimentos que necessita e o melhor é fazer-se ao caminho, que esta terra não é para si!” e dito isto, forneceu água e comida ao viajante, que seguiu satisfeito!

O estagiário perguntou: “mas porque é que para a mesma pergunta, respondeu num curto espaço de tempo, de forma tão diferente?”
Responde o porteiro: “As pessoas não precisam da minha resposta porque já a têm em si! A forma como viam as pessoas do sítio de onde vêm, é a forma como verão as pessoas onde quer que vão. Assim, a opinião sobre os outros, depende mais de cada um, do que dos que o rodeiam!”
Adaptado de autor desconhecido

bolini

A Carla tem arquitectado umas obras de arte gastronómicas!
Tem-se dedicado mais a um passatempo que desde sempre gostou.
Problema: os 3 dígitos estão cada vez mais próximos de se tornar uma realidade.
Mas quem resiste?

6%

De que é que nos lembramos de imediato quando falamos de bens de 1.ª necessidade?
Vamos lá bater umas bolas!
público: iva aplicado ao golfe baixa para 6%

reacção de Santos Silva:

Da reacção feita por SS entendi:
Como não se resolvem os problemas da juventude:
  • Não se resolvem os problemas da juventude com demagogia;
  • Não se resolvem os problemas da juventude com discurso anti-partidos e anti-política;
  • Não se resolvem os problemas da nacionais fazendo apelos mais ou menos implícitos à manifestação das pessoas contra as instituições.
Como se resolvem os problemas da juventude:Política - Santos Silva diz que "demagogia" não resolve problemas da juventude - RTP Noticias, Vídeo

  •                                                                                                                        :
  •                                                                                                                        :
  •                                                                                                                        

estás à rasca?... à rasquinha?... ... ... o wc é mesmo ali!

"estás à rasca?... à rasquinha?... ... ... o wc é mesmo ali!"
esta seria a resposta expectável para quem se apresenta à rasca.
Mas a resposta que provavelmente se ouviria seria: "estás à rasca?... à rasquinha?...! e que é que eu tenho a ver com isso? Aguenta! Tenho que tratar de outras m*****!"
Esta tem sido a posição do nosso governo!
E estes acontecimentos colocam-nos muito mais próximos dos países africanos do que da europa. Veja-se:
  • Estamos num país com tiques de autoritarismo:
- http://www.publico.pt/Política/autoritarismo-do-ps-de-socrates-ultrapassa-centralismo-democratico-de-lenine_1478937
- http://www.publico.pt/Sociedade/armando-vara-passou-a-frente-de-utentes-de-centro-de-saude_1481106
- http://meababel.blogspot.com/2011/03/grande-lata.html
- http://www.ionline.pt/conteudo/109866-governo-nao-informou-belem-do-pacote-austeridade-hoje-apresentado
  • Foram as redes sociais a suportar a comunicação entre os manifestantes.
  • Temos uma sociedade doente, pois é uma sociedade com falta de esperança e sem perspectivas do futuro.
Enquanto isto, tentamos mostrar para o exterior que somos capazes! Capazes de quê? Isto está a apodrecer por dentro, mesmo que a casca ainda pudesse estar impecável (o que não é o caso).
Há uns tempos Manuel Pinho decretava o fim da crise. Até às eleições autarquicas o governo dizia que a crise não existia, fazendo as necessárias magias com os números.
O principal partido da oposição, sentindo que ainda não estava preparado, colocou as suas necessidades tácticas à frente dos interesses do país, deixando a coisa afundar um pouco mais. Objectivos: dar tempo para se preparar para a governação (legitimo), e ter a certeza de resultados bons, partindo do princípio "quanto pior, melhor.".  Continuo convencido que a aprovação de um mau orçamento, foi trágica e o país tem vivido um constante adiar de soluções. http://meababel.blogspot.com/2010/10/quem-ganha-com-o-orcamento.html
São PEC's atrás de PEC's, medidas de austeridade a seguir a medidas de austeridade que se dizia serem suficientes.
Ou seja estamos perante um caso de mau governo, ou desgoverno. Para todas as situações possíveis e imaginárias já sabemos o que vai suceder: o mexilhão está lixado - mais impostos de uma forma qualquer.
- http://meababel.blogspot.com/2011/01/emissao-de-divida-e-um-belo-sorriso.html
- http://meababel.blogspot.com/2010/11/imagine.html
Esta constante passagem de medidas suficientes para insuficientes, associada a alguns factores relevantes, como a ideia generalizada que os políticos apesar de pedirem sacrifícios, não os fazem, e à situação precária de anos e anos a fio, sendo um dos principais responsáveis por estes casos precários muitas instituições públicas ou sob a tutela de instituições públicas, tem feito com que a pressão social aumente.
Verifica-se a existência de um movimento contestatário forte. Esta força advém também de ser essencialmente apartidário, apesar de partidos, sindicatos e outros se tentarem meter no meio, e capitalizarem para si alguns dos méritos deste movimento que não olha a partidos. O mais temível ou alavancador de esperança é que a geração à rasca é transversal às diversas faixas etárias. O que significa que o problema não está circunscrito! Viam-se gerações de pais, filhos e avós de mãos dadas a lutar por uma sociedade melhor. Por isto, considero que seja uma manifestação que pode ser alavancadora de esperanças.
Neste caso, estou convencido que é um caso típico de "para grandes males, grandes remédios..." e que venham depressa.

Continuando o caminho actual, este é o futuro provável:


Ver mais em:
- http://www.ionline.pt/conteudo/110045-geracao--rasca-e-noticia-no-financial-times-
- http://www.ionline.pt/conteudo/110053-educacao-professores-enchem-o-campo-pequeno-protestar-contra-politica-do-governo
- http://www.ionline.pt/conteudo/110060-geracao--rasca-mensagens-solidariedade-chegam-todo-o-lado-ao-facebook-
- http://www.publico.pt/Sociedade/protesto-geracao-a-rasca-juntou-entre-160-e-280-mil-pessoas-so-em-lisboa-e-porto_1484504
- http://www.publico.pt/Sociedade/o-protesto-cidade-a-cidade_1484526

Bairrada: a soma do todo poderia ser maior do que a soma das partes


O Chacomporrradas, como é seu apanágio, presenteia-nos mais uma vez com uma análise à realidade regional que vale a pena ler com atenção e sobre ela reflectir, em: Análise do Pedro Costa!
Mais uma vez, põe o dedo na ferida. Há bairrismos bacocos de quem não faz nada, nem quer deixar fazer.

Irritam-me solenemente as disputas locais entre Mealhada, Luso e Pampilhosa... Irritam-me solenemente os bairrismos bacocos entre Mealhada, Anadia, Oliveira do Bairro ou Águeda, entre outros que por aí se vêem.
Ninguém ganha nada com essas divisões, e juntos teremos mais força.
Mas é preciso fazer um esforço para deitar por terra esses preconceitos, ou bairrismos, ou sinais de menoridade, depende de como lhes queiram chamar, e substitui-los pela força de projectos comuns e abrangentes.
Imaginem toda uma região a votar no Bussaco nas 7 maravilhas naturais!
Imaginem toda uma região a votar no leitão da Bairrada nas 7 maravilhas gastronómicas!
Imaginem o Carnaval da Bairrada com escolas de Samba ou outros grupos de todos estes concelhos bairradinos e outros limitrofes, mesmo não sendo bairradinos!
Alguém duvida que seriam eventos com muito mais força!
Vá lá, façam lá um esforço, e deixem de criticar, mas envolvam-se em projectos da vossa região, mais do que da vossa terra!
Não perdendo a identidade da nossa terra, temos que ter a noção que quanto melhor estiverem os nossos vizinhos, melhor poderemos nós estar.
Há que mudar o paradigma muito presente em muitos bairristas de meia tigela de "quanto pior, melhor" para "quanto melhor, melhor"!

...porquê?... porquê?... porquê?... - a idade...


Faz hoje uma semana que começou a idade dos porquês...
8682 numa semana é muito porquê!
Ando eu a promover os porquês e as vantagens da curiosidade e levo com uma dose inigualável de curiosidade, a qual me deixa frequentemente sem resposta.
Quantas vezes fiquei durante a semana entre a espada e a parede.
Sem resposta, mas sempre com mais uma pergunta... Porquê?
E se digo que nesta situação escolho a espada, surge a pergunta... porquê?
Apesar de sempre ter dito que ia responder a tudo o que me fosse perguntado, por vezes calo-me, a tentar que o assunto acabe por ali, outras vezes tento novo assunto, mas a capacidade de voltar à questão é desarmante: porquê?...porquê?...porquê?...porquê?...
Continua... estás no bom caminho!

you'll never walk alone

you'll never walk alone, ou como diz o Johnie: "Keep walking"!



Seria bonito ter 2 deles na final!

ionline - benfica
ionline - braga
ionline - porto
publico - braga
publico - benfica
publico - porto

gastar...


Quem tem 3 e gasta 4,
em breve chega ao fundo do saco!

o que eles dizem...

Interessantes as análises feitas. Podemos aprender alguma coisa com elas:

grande lata


Este período carnavalesco não se pode dizer que tenha sido fértil ao nível de foliões. O tempo esteve cinzento e os corsos lá sairam, mas sempre a medo. Mas apareceram alguns foliões em alto nível. E Sócrates, como é seu apanágio, esteve maior do que todos os outros. É de facto um caso de estudo porque é, provavelmente, a maior lata já vista desde tempos imemoriais.
Começou na Guarda a dizer que os responsáveis pelas SCUTs seriam outros, no caso o PSD. Não estivesse no governo há meia dúzia de anos, e a convicção com que o afirmou, seria  suficiente para acreditarmos. É lata!
Depois, e na sequência da invasão do seu jantar comício pelos "Geração à Rasca", teve uma manifestação não só de uma grande lata, mas de um cinismo e ironia a toda a prova, que não fica bem a um primeiro-ministro.
Os "Geração à Rasca" não se manifestaram no local certo. Deveriam ter a noção que estavam sujeitos a levar umas cacetadas e a sair dali aos empurrões. Foi o que aconteceu, e não é uma situação que suscitasse diferença de actuação a qualquer dos partidos a quem algo semelhante sucedesse. Perfeitamente normal, até à saída do local. Mas Sócrates, não satisfeito, vem com o discurso que releva todo um carácter. E vem então dizer que "muito gosto em que ficassem para jantar... carnaval... ninguém leva a mal...". Este discurso seria  aceitável numa jantarada entre amigos, ou em conversa de café. Não é aceitável num comício partidário, quando em causa estão pessoas que se estavam a manifestar de forma errada, é certo, mas por problemas complicados e que fazem com que a vida de cada um deles seja dificil. Seria bom que os nossos governantes tivessem a sensibilidade para ouvir os problemas das pessoas, e não fossem irónicos. Algumas daquelas famílias, ou das familias que aqueles representavam, terão dificuldades que, acredito que Sócrates não imagine, sequer. Assim, seria bom que demonstrasse um pouco de compreensão pelas manifestações. É o primeiro-ministro e grandes primeiros-ministros preocupam-se com as pessoas. Mas já conhecemos a peça.
Ganharia sem opositores, o prémio da maior lata já vista e da hipocrisia também!

Mais informação em:
http://www.publico.pt/Política/movimento-geracao-a-rasca-interrompe-discurso-de-socrates_1483696
http://www.ionline.pt/conteudo/109123-jovens-interrompem-discurso-socrates-em-viseu-e-sao-expulsos-da-sala
Escutem com atenção quando se fala em partidos de tolerância...ahahahah... tive que me rebolar a rir durante 5 minutos.

dia internacional da MULHER


Parabéns a todas as MULHERES pelo seu dia!
O meu maior desejo neste dia é deixem de existir motivos para a existência de um dia internacional da MULHER! Pode-se ver a origem do dia internacional da MULHER neste artigo da Wikipedia.
Desejo também que não se necessite brevemente de um dia internacional do Homem.
A seguir fica o retrato do que ainda é o dia internacional da MULHER, para muitos casos.

elite da música pop nacional - à luta, sem medos!

Comecei por me rir! Ahahah!
O festival da canção já teve melhores dias. Mas tem tido alguns pontos altos. Este é provavelmente, o mais alto de todos.
Gel e Falâncio ganharam a "etapa portuguesa".
A música popular portuguesa está representada por estes dois ilustres da música!
Aliás, só os conhecia mesmo, por causa da música!
E estamos em pleno período de foliões! Esta podia ser uma excelente partida de Carnaval. Consideraria génios os autores da ideia!Assim, comecei por encarar isto com humor, pois falamos de humoristas. Devem fazer-nos rir... e sorrir! E resultou, ri-me!


Penso que me ri mais com este resultado do que com os seus programas. Consigo rir-me durante os primeiros 3 minutos, mas depois fico com fortes dores de cabeça!
Depois do primeiro impacte, já não me ri tanto.
Pensei:
"Estes são os meus representantes no euro-festival da canção! É esta a imagem que quero que tenham do meu país? - Não!!!" Apesar de tudo, este sentimento não aconteceu apenas com estes artolas. Tem havido vários artolas, ao longo dos anos.
Mas fico a pensar se vale a pena o esforço enorme de  campanhas internacionais para valorizar a marca Portugal, o esforço grande para que "os outros" nos vejam como um país a caminho da modernidade, evoluido e com competências em diversos sectores (tradicionais ou vanguardistas), quando enviamos para um concurso de cantores... humoristas com um estilo de 1975!
Há pormenores, que num instante podem destruir trabalho de anos!
Mas seguindo esta linha de raciocínio, podíamos enviar para:
  • os encontros dos ministros das finanças... Paula Rego;
  • representante da UEFA...Armindo Araújo;
  • meetings de atletismo...Chefe Hélio Loureiro;
  • Encontro dos professores de português em New Jersey... Jorge Jesus;
  • Congresso Internacional de Linux... Soraia Chaves;
  • Cimeira Ibero-americana...Lobo Antunes;
  • Cimeira da NATO...D. Albino Cleto;
  • Sessão na Assembleia da Républica... Deputados.
E poderíamos continuar com este rol de grandes e competentes figuras...a participar nos eventos errados!
Tal como o Gel e o Falâncio!
Para mais opiniões, pró e contra, vejam:
Expresso: Homens da luta;
ionline: vamos à Alemanha
Público: o povo é quem mais ordena
Clube dos Pensadores: o aviso
Aventar: o coro das virgens ofendidas

Quanto é que ficou o Braga vs Benfica?

o palco para... António Barreto

António Barreto dispensa apresentações.
Tem sido uma voz activa e não alinhada com os partidos, dando a possibilidade para que todos tenhamos a oportunidade de conhecer um pouco melhor o país, com base em evidências objectivas. O auge da apresentação dessas evidências, surge com a Pordata!
Nesta edição do Expresso (5 de Março de 2011), é entrevistado, e como é habitual, vale a pena ler a entrevista. Apresenta-nos algumas ideias que são lógicas, mas que muitas vezes não as identificamos até serem apresentadas claramente, como ele tão bem sabe fazer. Algumas dessas ideias são apresentadas com coragem. Destaco as seguintes frases:
  • "É pacífico que Sócrates anda a enganar o país!"
  • "Lamento que a palavra liberal seja, em Portugal, um insulto."
  • "P: O que é que falhou mais: as elites económicas ou as políticas? R: Ambas. Aí não há grande diferença."
  • "Na política houve um downgrade."
  • "Se eu fosse Presidente da República nunca daria posse a um governo minoritário."
  • "A estratégia de Sócrates é aguentar porque acha que a Merkel passa as eleições todas e depois nós já podemos começar a gastar outra vez."
  • "... os portugueses não leem porque os livros são calhamaços, são caros de mais e não estão à venda onde as pessoas estão(...) nos centros comerciais, hipermercados, quiosques, estações de caminhos de ferro."
  • "O século XXI será o século do poder dos juízes. É uma ameaça letal à democracia."
  • "Mas Portugal é imprevisível, é resiliente, e oferece tantos paradoxos... que tentar perceber Portugal é fascinante."

carnaval luso brasileiro da bairrada


Está a chegar o Carnaval!
A vida são dois dias e o Carnaval são três!
Festa maravilhosa associada a grande folia, alegria e prazer, antes de dizer adeus à carne, e entrar na quaresma, com os seus 40 dias de jejum!
Quarta-feira de cinzas acaba esta época fantástica! Há que aproveitar!
A minha sugestão é que se vá ao Carnaval Luso-Brasileiro da Bairrada, na Mealhada. Antes, que se passe por um restaurante da zona, onde o leitão seja prato principal, e que se regue o leitão com um belo e borbulhante espumante!
Se já é dificil resistir á esta musica, sem a ajuda de Baco, com um ou dois flutes de espumante, a sambar torna-se um estado natural! Nem que seja apenas o bater do pé no chão e a mão na perna!
Espero que o tempo ajude a ir ao sambódromo, depois de uma refeição faustosa, para poder mexer o esqueleto. Pelo que parece, o tempo não vai ajudar: carnaval português debaixo de chuva.
Espero que a chuva associada à falta de promoção deste evento, não sejam suficientes para estragar a festa!
Espero que seja um bom espectáculo, com algum sol à mistura e com muita gente!
Bom Carnaval... Na Mealhada, claro!
Associação de Carnaval da Bairrada - Mealhada
http://pt.wikipedia.org/wiki/Carnaval

não ria enquanto está por cima - ii)

Ainda sobre rir enquanto se está por cima...

não ria enquanto está por cima

Para quem se estava a rir de mim e dos meus problemas informáticos e da loiraça e da sua procura de correio na caixa de correio, e sem qualquer tipo de moralidade, fica o clip seguinte:

infoexcluidos?

Há certos dias em que, devido a determinados problemas informáticos, me sinto como a loira da história a seguinte:


A Loiraça

Num domingo pela manhã, um homem cortava a relva calmamente quando a sua vizinha loira boazona caminhou até a caixa de correio, abriu a caixa, fechou com força e voltou furiosa para casa.
O homem lá continuou a aparar a relva quando, de repente a loiraça voltou.
Ela caminhou a bufar até à caixa de correio, abriu, fechou, deu um soco na caixa e voltou para casa com cara de furiosa.
Poucos minutos passaram quando ela aparece novamente.
Com o andar impaciente, abre a caixa de correio, xinga, esperneia, bate na caixa, grita e volta para casa a resmungar.
O homem, já bastante curioso com a situação, pergunta:
- Algum problema, vizinha??????
Ao que ela responde:
- Problema é pouco...!!!!! Aquele meu computador estúpido não pára de dizer que a minha caixa de correio está cheia!!!