A Lenda da Serra da Estrela e do Rio Mondego

Há uns dias, nas casas de banho do Forum Coimbra, li a lenda do Mondego! Como é que nunca me tinha questionado sobre a origem do Mondego? Mas tendo como base o lema "mais vale tarde do que mais tarde ainda", tentei saber um pouco mais sobre a origem do nome Mondego. Aí estão 3 versões:

A Lenda da Serra da Estrela e do Rio Mondego versão I

Há muito tempo, no cimo de uma serra muito alta, estava situado um castelo.
Um dia, nesse castelo, nasceu uma linda princesa. Esta tinha os olhos tão brilhantes que lhe chamaram «Estrela». Estrela cresceu e transformou-se numa menina muito bonita.
Certa ocasião, os Mouros atacaram o castelo. Como eram muitos, o rei teve de pedir ajuda ao rei vizinho, que mandou logo o seu melhor grupo de cavaleiros. Entre eles, ia um rapaz corajoso chamado D. Diego. Acabada a guerra, D. Diego foi dizer ao rei que tinha ganho a batalha. O rei ficou radiante com a notícia.
Entretanto, D. Diego avistou a princesa e ficou apaixonado. Foi, então, pedir a mão da princesa Estrela ao rei. Este aceitou e logo combinaram o casamento, que se realizou, passado algum tempo, com uma grande festa.
Quando estavam no banquete, veio um criado dizer que os Mouros atacavam novamente o castelo e D. Diego teve de ir combater.
Passaram-se os dias, os meses, os anos, e a princesa ia sempre ao cimo do monte para ver se D. Diego voltava. E, como não o via, chorava, chorava, enquanto dizia:
- Mon Diego, Mon Diego...
Tanta vez repetia que, ao longe, se ouvia: Mondego, Mondego...
Ao mesmo tempo, as suas lágrimas formavam um rio a que o povo chamou Mondego.

http://ascoresdasbeiras.forumeiros.com/historia-e-caracterizacao-f22/a-lenda-da-serra-da-estrela-e-do-rio-mondego-t27.htm

A Lenda da Serra da Estrela e do Rio Mondego versão II
Nos tempos recuados da Idade Média, vivia junto aos montes Hermínios, numa vasta planície, um rei godo, do povo muito amado. Houvera de sua mulher uma linda menina, branca como luar de Janeiro, cintilante como as estrelas douradas a luzir no firmamento nas noites límpidas e puras.
- É branca como as estrelas, diziam as aias que a vestiam.
E os pais da princezinha sorriam de contentamento e diziam um para o outro:
- Pois há-de chamar-se Estrela.
Este lindo nome recebeu no Baptismo e quanto mais crescia, mais as estrelinhas, suas irmãs, a invejavam da sua beleza...
Na corte havia um cavaleiro esbelto chamado D.Diego (ou Diogo - já se não sabe ao certo) que gostava muito da princezinha. Muito se amavam e passeavam juntos, em alegria, horas infindáveis...
Veio um dia a guerra contra os Árabes, em terras distantes e D.Diego partiu com o rei. A linda Estrela ficou desolada, cheia de saudades, a chorar seu cavaleiro ausente!...
O coração não suportava essa separação já longa e resolveu subir aos altos montes das redondezas a ver se avistava D.Diego no seu regresso. Foi com as aias até ao cimo dos mais altos penhascos, onde trepava todos os dias na esperança de ver ao longe o cavaleiro ousado, o seu querido D.Diego, no seu cavalo branco em que fora pelejar contra os Mouros.
Dos cerros íngremes, tão altos que quase o céu se tocava com a mão, a linda princesa espraiava o olhar na distância infinda, mas do seu cavaleiro ausente não divisava nada...
Triste, muito triste, mais triste do que a noite, chamava em voz alta:
- Mon-Diego! Mon-Diego! Porque não vens?
Só as rochas negras repercutiam o eco:
- Mon-Diego! Mon-Diego!...
Assim passaram dias, assim correram noites de infindável angústia durante os quais os olhos da princezinha eram duas fontes de lágrimas de água pura a correr. Água tanta nos seus olhos derramaram que ela foi correndo, serra abaixo...
Os pastores e as gentes da serra ouviram, ainda, durante muito tempo, o eco das cavernas repetindo as exclamações da princesa que ali morreu de pena.
- Mon-Diego! Mon-Diego!...
E, por isso, deram esse nome ao rio que ali se formou das lágrimas da princezinha e que é nem mais nem menos que o nosso manso Mondego. E à serra alta, que até então se chamava Montes Hermínios, deram o nome da formosa princesa Estrela, tão linda e esbelta, e formosa como as estrelas do céu...
http://www.coolkids.guarda.pt/content/o-rio-mondego


A Lenda da Serra da Estrela e do Rio Mondego versão III
Era uma vez uma princesa moura que vivia na serra da estrela.
Um dia passou ali um cavaleiro francês e viu a linda moura.
Diego era o seu nome. Casou com ela e foram muito felizes.
Um dia porém o rei do seu país mandou-o chamar para combater os inimigos que estavam a atacar o seu país. Diego abandonou o castelo da serra da Estrela, cavalgando, cavalgando...
Sozinha, a princesa chorava e chamava:
- Mon Diegooo!... Mon Diegooo!…
E tanto chorou, a chamar pelo seu cavaleiro, que as lágrimas formaram um rio a deslizar pela serra enquanto o eco da sua voz se espalhava pelo ar:
Mon Diegooo!... Mon Diegooo!…
Com o tempo, as palavras da princesa perderam-se no vento, mas ao passar em Coimbra, no Choupal, as águas do rio gemem imitando as lágrimas da princesa: Mondego! Glu... Glu... Glu...
Popular
http://www.prof2000.pt/users/aldafr/textos_html/texto_05_lendamondego.htm
Enviar um comentário