Nobel da Paz para a Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares (ICAN)


O prémio Nobel da Paz de 2017 vai para..................................................  
a Campanha Internacional para a Abolição de Armas Nucleares (ICAN)!
Alfred Nobel, inventor da dinamite, instituiu cinco prémios Nobel (Física, Química, Medicina, Literatura e Paz). Estes prémios existem desde 1901 e são prova de um reconhecimento por feitos extraordinários, no que ao âmbito do tema a que corresponde. Existe um Comité Nobel, nomeado pelo parlamento norueguês que analisa e escolhe anualmente os premiados.
Relativamente ao prémio Nobel da Paz, este ano foi para uma ONG Anti-Nuclear. Nesta era em que o nuclear tem voltado a estar tão presente nas nossas vidas, é importante reforçar a ideia de que a humanidade não quer a paz à custa do medo imposto pelas armas nucleares. O medo é o que promovem os países detentores de armamento nuclear, com a ameaça dissuasora da utilização das armas. Potencialmente, estamos a falar do fim da humanidade.
No caso do Nobel da Paz, há algumas curiosidades, relativamente a outros Nobéis: pode ser atribuído a pessoas e/ou organizações que estejam num processo de pacificação, ou de resolução de conflitos. O objetivo pode ainda não ter sido alcançado, mas existem ações a serem desenvolvidas. É ótimo que assim seja, pois funciona como fator motivador para quem está nesses processos, a sofrer pressões de imensas partes (imagino eu). E muitas vezes, um reconhecimento pode ser a diferença entre desistir ou continuar o caminho definido.
Assim, espero que a Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares continue o seu caminho, que não pare, apesar da noção generalizada da dificuldade que existe na eliminação das armas nucleares, quer pelo seu potencial de afirmação de poder (interno e internacional) quer por questões económicas (permite reduzir significativamente os exércitos e seus custos, enquanto aumenta significativamente o poder). 

Há uns dias tinha falado sobre o legado para gerações vindouras, sobre o que queria para o futuro dos meus filhos, ver neste artigo. Curiosamente, disse que era um discurso associado aos concursos de miss. Felizmente, existem cada vez mais pessoas, países e/ou organizações que com a preocupação sobre as consequências da existência destas armas e que intervêm a vários níveis para eliminar o armamento nuclear.
Gostava que Portugal estivesse envolvido neste caminho de paz para o mundo. Foi um país pioneiro na abolição da pena de morte, lutou e foi um dos grandes impulsionadores da libertação de Timor Lorosae, tem o secretário-geral da ONU. Por tudo isto, tem responsabilidades e um papel importante na paz no mundo. Principalmente pela sua capacidade diplomática e de persuasão.
No entanto, segundo a TSF: 
"esta organização não-governamental junta centenas de países que lutou para que as Nações Unidas implementem um tratado internacional que proíba as armas nucleares. O acordo histórico foi aprovado a 7 de julho deste ano por 122 países. Terá agora que ser assinado por pelo menos 50 estados.
Portugal não vai assinar o tratado. No mês passado, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, explicava que "Portugal não pode ser membro da NATO, que é uma aliança nuclear, e ser subscritor de um tratado que declara ilegais as armas nucleares. Portugal não é membro de alianças ilegais".
Esperemos que a presença de Portugal na Nato tenha algum impacto na procura da abolição das armas nucleares, através de acordos com outros países e blocos.
Que este prémio seja uma luz no caminho para um mundo novo, livre de armas nucleares.

O legado


O que quero para o futuro dos meus filhos?


Uma questão que de quando em quando ocupa os meus pensamentos é: qual o legado que quereria deixar para vocês, queridos filhos?
Invariavelmente, surgem dois níveis de análise... um macro, mais global, com uma capacidade limitada de mudar a situação sozinho e um micro, correspondente à capacidade efetiva que temos para mudar o mundo que nos rodeia e ao contexto sob a nossa influência. Este último, é aquele sobre o qual podem ter intervenção direta.

O legado macro:


Quando penso no legado macro, revejo-me nos discursos preparados dos concursos de Miss Portugal, Miss Mundo ou Miss Universo. No entanto, é um desejo sentido e profundo, que não foi escrito ou pensado por ninguém para parecer bem. E embora pareça bem, quero que vocês saibam que seria um legado que respeitasse a minha aprendizagem durante a vida e a perceção que tenho do  mundo. Este legado macro, teria duas grandes linhas de orientação:
i) a paz no mundo;
ii) um planeta saudável e sustentável para poderem viver bem.


O legado micro:


No que se refere ao legado micro, o conforto é maior, pois podemos ter ações no nosso dia a dia com grande impacto na nossa vida Se tivesse que escolher 3 grandes linhas de orientação, seriam:
i) estuda muito... obtém conhecimento e coloca-o em prática, sempre que tiveres oportunidade.
ii) Respeita todas as pessoas, incluindo a tua pessoa.
iii) Aprende o Eneagrama, coloca-o em prática e ensina-o a quem te rodeia. 

De volta ao legado macro:


Porquê esta preocupação com estas duas grandes linhas de orientação?

i) a paz no mundo * quanto a esta linha, todos já vimos o poder das armas de destruição massiva, das armas nucleares. Se adicionarmos a esta panela de pressão a loucura que se tem apoderado dos governantes deste planeta, constata-se que, apesar do número de conflitos ter diminuído significativamente, nos últimos anos, o poder destrutivo de cada conflito é assustadoramente maior. Cada vez mais, uma só pessoa pode dizimar a humanidade com uma facilidade brutal e sem contraditório. Por isso, admiro os embaixadores da paz, sejam eles quem forem e estejam em que áreas de atuação estiverem. Todos seremos poucos para assegurar um mundo mais pacífico.
Se estivesse nas minhas mãos, deixar-vos-ia este legado.

ii) um planeta saudável e sustentável para poderem viver bem. Embora haja teorias sobre as alterações climáticas e a sua origem noutros fatores que não os homens e o seu impacto sobre a natureza, eu acredito numa relação profunda entre as alterações climáticas que se têm verificado com as ações dos homens. É minha convicção profunda que a consequência (alterações climáticas) estejam diretamente e proporcionalmente ligadas à causa principal (ação do homem). E se em muitos aspetos a mudança para pior se propaga lentamente, como a poluição atmosférica e dos oceanos, com impacto significativo na nossa qualidade de vida direta (ar que respiramos e alimentos que consumimos), há outros aspetos que deviam levar a níveis de alarme grave e atuação rápida (os vários acontecimentos climatéricos e as suas alterações significativas das quais, todos nós nos no nosso dia a dia). Desconfio que a tendência será para piorar, prevendo a necessidade de uma enorme capacidade de adaptação para enfrentar as intempéries cada vez mais comuns e mais poderosas, e provavelmente, para poder mudar de lugar em muitos momentos da sua vida, não por opção, mas por necessidade.
Se estivesse nas minhas mãos, deixar-vos-ia este legado.

De volta ao legado micro:


Se, no que respeita ao legado macro, a nossa atuação pode ter uma influência reduzida, relativamente ao legado micro, podemos mudar a nossa vida permanentemente. Assim, eu daria maior relevância a esta áre micro e, quanto maior controlarmos e gerirmos esta zona, maior é a probabilidade de alargar a nossa área de intervenção direta. Falando das 3 linhas de orientação:

i) estuda muito... obtém conhecimento e coloca-o em prática, sempre que tiveres oportunidade.
Já dizia Aldous Huxley "conhecimento não é o que sabe, mas aquilo que faz com o que sabe!". Por isso, a finalidade do conhecimento de que aqui falo, não é propriamente o saber muito e ter muita informação na cabeça. Devemos estudar, devemos aprender para por em prática. Ter prazer em aprender pelo que isso nos proporciona, e não para tirar boas notas. As boas notas serão uma consequência natural do conhecimento obtido e dominado.

ii) Respeita todas as pessoas, incluindo a tua pessoa. Em muita literatura, existe a chamada "regra de ouro" dos relacionamentos e que diz "não faças aos outros aquilo que não gostarias que te fizessem.".Esta será condição necessária, mas não suficiente para ter uma vida boa e tranquila com boas relações familiares e sociais. Há uma outra frase que surgiu a partir desta e que diz: "faz aos outros aquilo que gostarias que te fizessem". Esta frase tem uma boa intenção, no entanto, pode ser intrusiva. Eu diria que o ideal será aproveitar o melhor das duas frases e criar uma outra "faz aos outros aquilo que percebes que eles gostam, desde que não vá contra os teus valores". Esta questão leva-nos ao respeito por todas as pessoas, por saber que todos somos importantes. Não te julgues melhor nem pior que os outros. Cada um de nós tem uma função, uma missão. Por vezes não entendemos a missão dos outros... por vezes procuramos uma vida inteira pela nossa missão e não a conseguimos encontrar. Lembra-te ainda que também tu és uma pessoa, pelo que deves assegurar que és igualmente respeitado por ti - cuida-te bem - e pelos outros - não estejas muito tempo junto de quem não te respeita... é tóxico.



iii) Aprende o Eneagrama, coloca-o em prática e ensina-o a quem te rodeia. Quando chegares aos vinte anos, estuda o eneagrama. Não deixes passar muito tempo. É uma ferramenta milenar, um mapa psico-espiritual (não confundir com religiosidade), que te permite aprofundar o conhecimento sobre ti próprio, e dá-te uma perspetiva dinâmica da tua vida. Permite-te ter uma consciência maior dos pontos fracos e dos pontos fortes quando estás num estado normal da tua vida, quando estás com níveis de stress acima do desejável, e quando estás com um estado de espírito positivo. Temos formas de estar e de reagir diferentes e esta ferramenta permite-nos ter a consciência sobre como estamos em cada momento e, desta forma, agir da melhor maneira possível para aproveitar os pontos fortes, ou para minimizar os pontos fracos. E para fazer que sejam cada vez mais os momentos de "estado de espírito positivo", na tua vida. Vais aprender muito do que é transmitido pelo eneagrama, ao longo da vida. No entanto, este é um atalho para o conhecimento que te permite ter uma vida melhor contigo mesmo e com os teus relacionamentos de diversa ordem. Tenho sentido o poder do eneagrama. Não há milagres, nem receitas milagrosas, mas há trabalho pessoal potenciado com conhecimento precioso. Um tesouro que pode ser explorado por todos e que eu muito gostaria que vocês o explorassem. Não se incomodem por saber que têm defeitos... Todos temos... Incomodem-se por não os conhecer e não saber como os reduzir significativamente. Vão-se compreender bem melhor e vão compreender quem vos rodeia. Acredito que vos possa ajudar a saber o vosso propósito de vida... a vossa missão.

O que quero para o futuro dos meus filhos?


Os aspetos macro, são difíceis de controlar e têm todo um contexto e relações macro que os influenciam.

Se vocês integrarem estas 3 linhas de orientação globais do legado micro, ficaria muito feliz... estes são aspetos que podem contribuir para uma vida alegre, com muitos momentos felizes e com sentido.

Assim, à questão: O que quero para o futuro dos meus filhos?

Gostaria que aproveitassem os pilares atrás descritos e que não se esqueçam de que:
A vida é bela... Vamos aproveitá-la, juntos, o melhor que soubermos...

E tu? O que queres para o futuro dos teus filhos?

A ARTE DA TATUAGEM


As tatuagens têm milhares de anos.
Há provas arqueológicas que, entre 4000 e 2000 AC, os Egípcios já faziam tatuagens.
Os povos originários da Indonésia, Polinésia, Nova Zelândia, entre outros, usam as tatuagens desde tempos remotos.
Algumas das tribos religiosas, usaram as tatuagens ao longo dos tempos…os cavaleiros de S. João de Malta são disso um exemplo. No entanto, a tendência foi associar estas práticas de tatuar a pele ao paganismo. Também interpretações de algumas tendências religiosas, levaram a que a tatuagem perdesse a sua popularidade. Para ver como é um tema polémico e, muitas vezes, de interpretação diametralmente oposta, quando falamos de tribos islâmicas, as tatuagens são permitidas no Xiismo e proibidas no Sunismo.
No Hinduísmo, a marca na testa é uma tatuagem muito apreciada e os elementos desta tribo religiosa são motivados para as fazer. Também são usadas para fazer a diferenciação entre certos grupos.
Na segunda guerra mundial, as tatuagens eram usadas para inscrever na pele o nome das suas amadas dos soldados e marinheiros que partiam para terras desconhecidas.
Os ingleses, responsáveis por muito do que foi a divulgação da tatuagem, devido aos marinheiros e à sua presença global ainda hoje com imensa influência através da Commonwealth, teve uma influência significativa nos preconceitos e conotações relativas às tatuagens, pois no final do século XIX, foi usada pelo governo Inglês para marcar criminosos. Era também popular entre os gangues, o que reforçou a conotação a actividade criminosa ou, pelo menos, ilícita.
A utilização em campos de concentração nazis contribuiu igualmente para a conotação negativa que, durante vários anos, pairou sobre as tatuagens.
Hoje, muitos dos ídolos contemporâneos usam tatuagens, o que muito tem feito pela regeneração  da imagem da tatuagem. A selecção “All Black”, de Rugby, pelo seu mediatismo, pela sua qualidade e pela sua dança Haka (especificamente a “Ka Mate”) é uma das maiores embaixatrizes das tatuagens e de toda a cultura maori… Muitas pessoas admiram a dança feita por jogadores que demonstram uma garra e uma entrega enormes. Muitos destes jogadores, têm tatuagens associadas à cultura maori, o que ainda dá uma força ainda maior à mensagem que se passa. É um elemento visual que contribui para a plenitude do quadro apresentado.
Atualmente, fazer uma tatuagem está ao alcance de todos. Existe em várias localizações, há vários tatuadores a trabalhar na área, os instrumentos de tatuagem adquirem-se com facilidade, e já há tecnologia que permite remover as tatuagens.
Assim sendo, o mais importante será, num primeiro momento, refletir sobre se é o que realmente se deseja, ou se é uma vontade passageira. Num segundo momento, o mais importante será ter todos os cuidados que puder com a sua pele, quer através de referências de trabalhos realizados pelo tatuador escolhido, quer pela utilização de produtos que ajudem a preservar a sua pele e a ultrapassar alguma agressão temporária que a pele possa sofrer.
Podemos cuidar da nossa pele com tatuagens, através da aplicação de cremes próprios para assegurar que a tatuagem se mantém viva e a pele tratada.

Cais Pharma! Sim, Eu Mereço...

Desodorizante Mineral de Alúmen


A Elsa apareceu cá em casa com um calhau semelhante ao da fotografia, que a Catarina Paiva lhe empandeirou, muito contente porque alegadamente tira o cheiro a "sovacum" e melhor que tudo, segundo ela, não empastela as camisas.

É suposto ser um desodorizante.


Como sou um céptico, achei que era a mesma coisa que a pedra 444 da barba e fugi. Já me via um dia inteiro tipo albatroz com as asas paralelas ao chão.


Não serviu de nada fugir. Homem que é homem sabe que em casa manda tudo aquilo e apenas o que a mulher lhe deixa mandar e lá acabei por ceder. Molhei o calhau, fechei os olhos, cerrei os dentes e esfregacei as axilas. 


Não aconteceu nada.


Fiquei um nadita desapontado. Nem um ardor. 


Mais de dez horas passadas, não há um cheiro que seja para contar a história.


Fiquei com a pulga atrás da orelha e fui pesquisar à net.


Eis então que descubro que é uma coisa antiga, que a malta do norte de África usa há gerações e que o método de funcionamento é do mais básico que existe: não evita a transpiração, limita-se a matar a bicheza que produz o mau cheiro.


Serve como desodorizante e como cicatrizante após a depilação e afinal é praticamente igual à tal pedra 444 que se usa como after-shave. Apenas não arde.


Quanto às contra-indicações, tem qualquer coisa a ver com o alumínio e a sua ligação a alguns tipos de cancro, mas o lado bom é que tem em quantidades infinitamente mais pequenas que os desodorizantes que usamos normalmente.


Continuo sem perceber porque é que não é mais usada.


Para os interessados, a Catarina vende-a na Cais Pharma e a coisa chama-se pedra alumen.

Autor: Pedro Costa (Pedro Costa)


Conheça melhor o produto em: Desodorizante Mineral de Alúmen

Síndrome do trauma pós-férias... como ultrapassar?



Nesta altura de férias todos, ou pelo menos os que têm direito a férias (e os que têm a felicidade de não refilar por tudo e por nada... e os que não estão de ressaca... e os que aproveitam bem os dias... e as noites... e alguns otimistas por natureza.......), andamos com um ar satisfeito. É o merecido descanso do guerreiro, depois de um ano de trabalho intenso...

As férias são um período tão bom, que sinto que me conseguiria habituar a andar assim uns meses...... ou não! Independentemente da vontade de voltar para o trabalho ser mais consoladora ou traumatizante, há, em muitas pessoas - incluindo eu - uma necessidade de adaptação e pode-se observar, com facilidade, a resistência à mudança no seu pleno!

Há médicos e psicólogos que analisam e estudam este "síndrome pós-férias". Destes estudos, saem dicas interessantes para reduzir a dita resistência, como se pode ver em médicos explicam síndrome pós-ferias ou em estratégias para reduzir o síndrome pós-ferias.

Eu optei por mudar o meu escritório e, durante algumas horas de trabalho, estou instalado no local apresentado na imagem acima... e está a resultar... Onde será? Bem, não interessa... É mais um dos paraísos na terra! E tem apresentado bens resultados... bons índices de produtividade e o tal síndrome tem andado por longe...

Discriminação: A incrível viagem do DNA

Quando alguém chama nomes a outro, baseado na origem, na raça, ou na nacionalidade, pode estar a insultar-se a si próprio, como prova o vídeo seguinte!
Perspetivas que clarificam a verdadeira origem de cada um de nós...

video

Sabonetes do Porto têm como fãs, Oprah Winfrey, Nicholas Cage, Johnny Depp ou Kate Moss


O sabonete tem várias funções... a maioria associada a prazeres!

Segundo o Jornal de Negócios, "Depois de Lisboa, em Setembro passado, a centenária Ach Brito inaugura esta quinta-feira, no Porto, a “flagship store” da Claus Porto, marca de sabonetes que tem como fãs Oprah Winfrey, Nicholas Cage, Johnny Depp ou Kate Moss."

"‘Preservar o Passado, Estimular o Presente, Desafiar o Futuro’ Este é o lema da centenária empresa Ach.Brito. É uma empresa do Porto criada em 1918 pelos irmãos Affonso e Aquilles de Brito.", é o que se pode ver numa breve história da empresa Ach Brito, apresentada pela Caispharma.

A empresa está presente em diversos pontos do mundo, Nova Iorque, Tóquio entre muitos outros locais. Em Portugal, aposta em lojas de rua, abrindo a Claus Porto no Chiado, em Lisboa, e mais recentemente, na rua das Flores, no Porto.

Pode encontrar alguns produtos da empresa em Caispharma: Clássicos e sabonetes



Internet, uma realidade... * E a segurança para as crianças?


Quando se trata de segurança na internet, queremos sempre saber mais. O que está a acontecer com o mundo digital, aumenat o pergigo de uma forma bem real. Há várias formas de ataques ataques informáticos: o phishing, o whaling, resgates, invasões, tróias, e muitos outros. Quando toca às crianças, a preocupação aumenta exponencialmente.
Por isso, considero importante partilhar convosco a entrevista da Dr.ª Ivone Patrão, uma psicóloga que trabalha os temas da dependência da internet, e que fala da importância de desligar e dos riscos de não desligar, entre muitos outros temas interessantes:


Ivone Patrão, psicóloga: «As crianças aprendem a desbloquear as ferramentas de controlo parental em segundos»


O Digital está presente nas nossas vidas

Todos sabemos que o mundo digital é cada vez menos virtual e mais real.
Existem inúmeros benefícios, tanto para os clientes, como para as próprias empresas.

Sendo um apaixonado por novos projetos que contemplem o seu quê de desafiante, envolvi-me num novo empreendimento ligado ao bem-estar, ou seja, a uma loja digital. Convido-vos a visitar o espaço, no mundo digital ou no mundo físico...
Digitalmente em www.caispharma.pt.
Fisicamente podem ir à Mealhada.
Podem visitar o espaço e aproveitar para se deliciarem num dos muitos bons restaurantes, seguido de um passeio pela Mata Mágica: o Bussaco.

Deixo-vos abaixo a apresentação do projeto, para usufruírem dos benefícios existentes:

Um Projeto para o servir ainda melhor:

Como servir ainda melhor os nossos clientes? Esta foi a pergunta que nos conduziu a um novo projeto: a disponibilização dos nossos produtos on-line.

CAIS PHARMA é reconhecida pela sua dedicação ao cliente e pela sua vontade de bem o servir, estando focada na resolução dos seus problemas.  Privilegiamos a relação com o cliente, o atendimento personalizado, a qualidade e o aconselhamento na área da saúde, beleza e bem-estar.

Tendo consciência das restrições que a vida de hoje nos apresenta, sabemos bem a satisfação com que as pessoas vão ao nosso espaço físico e usufruem de um tempo de qualidade e de uma conversa com a nossa equipa, esclarecendo dúvidas em diversos temas e encontrando soluções para os seus problemas. No entanto, todos sabemos que a vida atual tem uma velocidade vertiginosa. Nem sempre é possível ter disponibilidade para nos visitar.

Como nem sempre conseguimos controlar o tempo como idealizámos, consideramos que a melhor forma de continuar o nosso serviço de excelência em prol dos nossos clientes, seria proporcionar-lhes a nossa total disponibilidade, para nos visitar quando mais lhe convier, podendo obter as soluções desejadas, de forma rápida, eficaz e cómoda.

Ao comprar na CAIS PHARMA On-line está a:

·         Aumentar a qualidade de vida, permitindo fazer as suas compras on-line e visitar o espaço físico, quando tiver tempo e desejar.
·         Ter mais tempo disponível para as áreas importantes da sua vida.
·         Ver os produtos de forma mais tranquila e confortável.
·         Obter informação detalhada sobre os produtos.
·         Obter esclarecimento de dúvidas por parte de profissionais competentes.
·         Receber conteúdos interessantes e informação relevante sobre temas relacionados com o bem-estar, a saúde e o crescimento pessoal.

Adquira os seus produtos na CAIS PHARMA on-line e tenha mais conforto, disponibilidade e privacidade, sendo possível fazer as suas compras em qualquer lugar e a qualquer hora.

Visite-nos em www.caispharma.pt

Aproveitem as promoções em curso: CaisPharma * Promoções

Eneagrama: um caminho para o autoconhecimento


Nada melhor do que o Espírito do Natal para iniciar o ENEAGRAMA na CAIS PHARMA.
Começamos com palestra de apresentação do Eneagrama para que cada um possa perceber se faz sentido para si aprofundar a metodologia. 
Se há curiosidade em conhecer esta metodologia, aparece. 
O Eneagrama é uma metodologia milenar de estudo e compreensão do ser humano.
Permite-nos crescer pessoalmente e tornar mais sã a convivência com os outros e, acima de tudo, com nós mesmos.
Com aplicação a nível Pessoal e Profissional.

Magníficas formas de acordar...


Há variadas formas de acordar. Normalmente, boas... Tornam-se magníficas quando...
Um filho nos diz, de madrugada:
-Pai, sou eu a fazer a minha cama... Não me faças a cama!!!
E faz a sua cama!

Ainda se torna melhor, quando quer estar presente nos 10 minutos de meditação do início do dia!

Roupa adequada ao dia de hoje... andar à chuva


Roupa de chuva de elevado desempenho Raynsie...
Em Amesterdão, em vez de ficarem em casa a fugir da chuva...
Encontram uma solução para enfrentar a chuva! ....... Dando cor aos dias cinzentos e às noites escuras!

[Cool Hunting]

O Horário de trabalho das 9h às 5h é bom?



Os horários são motivo de insatisfação em muitas empresas... melhor, os horários não contribuem em nada para a satisfação dos colaboradores em muitas empresas. As primeiras empresas com quem tive contacto em que havia alguma flexibilidade de horário, formam ligadas às áreas de tecnologias de informação. Mais tarde, conheci casos na área da comunicação e marketing. Recentemente, um amigo falou-me da sua experiência numa empresa alemã, da área industrial, em que existe essa flexibilidade de horário - podem entrar entre as 6h00 A.M e as 10h00 A.M e cumprem o seu horários em função da hora a que entraram. A maioria das pessoas, fica satisfeita por ter flexibilidade e algum controlo sobre os seus horários. Partilho o artigo abaixo, onde se fala da diminuição de stress e tensões pelo simples facto de existir um horário flexível:A jornada de trabalho das 9h às 17h não se adapta à vida da maioria das pessoas, nem ao seu fluxo de trabalho.
Jessica Piha chega ao trabalho às horas que quer e vai embora quando assim o entende.

"Não tenho um horário definido", diz Piha, directora de comunicações da startup de reformas de casas Porch, que permite que os seus funcionários tenham horários de trabalho flexíveis. Piha gosta de chegar "super-cedo" e sair às 15h00 para ir ao ginásio.

"Gosto de poder fazer meu trabalho quando é necessário fazê-lo", disse. "Nunca vou estourar um prazo nem deixar de cumprir as minhas obrigações".

É assim que deveria ser para todos os que não cumprem turnos específicos - ou seja, 42% da mão-de-obra dos EUA que, de acordo com o Departamento de Estatísticas de Trabalho, não trabalha em empregos que pagam à hora.

Deveríamos decidir como e quando realizar o nosso trabalho – mas continuamos presos ao relógio.

"Nos EUA, a nossa cultura está enraizada ao que chamo de mentalidade de horas", diz Carol Sladek, sócia da empresa de consultoria em recursos humanos Aon-Hewitt. "O turno de trabalho não faz muito sentido na maioria dos nossos sectores, que se baseiam em serviços".

A jornada das 9h às 17h não se adapta à vida da maioria das pessoas, nem ao seu fluxo de trabalho. Sentar-se numa cadeira durante oito horas seguidas não produz resultados; muitas pesquisas identificaram os benefícios de fazer pausas durante o trabalho. E as melhores horas para a produtividade variam de pessoa para pessoa. Nem todos estão mais dispostos de manhã. Uma pesquisa concluiu que a privação de sono custa aos empregadores em média 2.000 dólares anuais por trabalhador.

Os trabalhadores também acham que os horários de trabalho são dogmáticos. Somos adultos, gostamos de ter autonomia sobre nossas vidas.

Mais de metade dos trabalhadores consultados pela Society of Human Resource Management (SHRM) mencionou a flexibilidade como um aspecto "muito importante" da satisfação com o trabalho no relatório deste ano sobre satisfação dos funcionários. A proporção de famílias em que ambos os pais trabalham aumentou quase 50% desde 1970, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Pew no ano passado - no entanto, a estrutura do ambiente de trabalho praticamente não mudou para se adaptar ao novo padrão de normalidade. A mesma pesquisa concluiu que quase um terço dos trabalhadores com filhos diz ter dificuldade para equilibrar a vida profissional e a familiar, considerando também que a paternidade é uma fonte de stress.

"A última coisa que [os funcionários] querem é trabalhar para uma empresa com horários fixos, ficando num cubículo das 9 às 17 horas", disse Lisa Horn, que dirige a iniciativa de flexibilidade no ambiente de trabalho da SHRM. "É o oposto do que os trabalhadores procuram".

A fonte do artigo: 
É a altura de acabar com o horário de trabalho das 9h às 5h - Emprego - Jornal de Negócios: (Traduzido de BLOOMBERG | 24 Setembro 2016, 10:30

Quem nunca perdeu um amigo?




A Cristina Nobre Soares já deve ter perdido um amigo...
E deve ter sofrido...
A mim também já aconteceu...
E custou como o caraças...

Caso contrário, não conseguiria escrever este tratado de meia dúzia de palavras, mas de alcance imensurável:

Artigo original em: A amizade é uma coisa mariquinhas

Transcrevo aqui... Merece!

"A amizade é uma coisa mariquinhas

O amor não compreendido é tolerado, se fores trocado as pessoas têm pena e tal e dizem: "Paciência, um dia encontras o amor da tua vida". Mas ninguém diz, paciência, um dia encontras o amigo da tua vida. Chorar a perda de um amigo é coisa de gente mariquinhas
Texto de Cristina Nobre Soares • 06/09/2016 - 12:06

Há uns tempos, li um artigo, salvo erro no PÚBLICO, sobre o tabu que é perder um amigo. Pois é, perder um amigo é um tabu e é tramado. Porque nem sequer tem classificação possível. A amizade é uma coisa que vive num limbo que ninguém sabe bem o que é. É família sem sangue, é casamento sem sexo, é enriquecer sem dinheiro. Com um amigo falamos sem maquilhagem (da metafórica e da outra), com um amigo temos as tripas todas e não apenas coração, como nos filmes.

Com um amigo choramos baba e ranho até ficarmos com olhos de garoupa, limpamos o ranho com as costas da mão e não faz mal, porque um amigo a sério não tem olhos, só tem ombros. Com os amigos dizemos palavrões e não parece mal: foda-se é coisa que só fica bem quando estamos com amigos, mas amigos a sério. Se quando dizemos foda-se soa a cinema português da década de 70, então é porque não estamos entre amigos.

Mas o pior é quando perdemos esse amigo. Porque toda a gente compreende a dor de corno. O amor não compreendido é tolerado, se fores trocado as pessoas têm pena e tal e dizem: "Paciência, um dia encontras o amor da tua vida". Mas ninguém diz, paciência, um dia encontras o amigo da tua vida. Chorar a perda de um amigo é coisa de gente mariquinhas. Até porque se te zangas com um amigo as pessoas pensam que alguma coisa deves ter feito. No amor a culpa é sempre do outro, no amor há sempre um cabrão e um coitadinho. Na amizade não. Na amizade somos estupidamente iguais. Na amizade ninguém te põe as malas à porta, não há telefones desligados a meio da conversa, não há discussões de meia noite, de janela aberta com a vizinhança toda a ouvir. Não. Só há silêncio, mas daquele fininho. Não há cegueira, só uma espécie de querer ser cego para não ter de falar quando nos cruzamos na rua. Só porque já não temos nada para dizer. Perder um amigo é isso, é um vazio que dói como o caraças. É acontecer-te uma coisa boa e pensares que queres contar a essa pessoa e já não podes. No fim da amizade, não te põem as malas à porta, pois não? Porque o que dói mesmo é que no fim da amizade só há porta."

Hoje a minha preferida é... Matt Simons * Catch & Release



There's a place I go to
Where no one knows me
It's not lonely
It's a necessary thing
It's a place I made up
Find out what I'm made of
The nights are stayed up
Counting stars and fighting sleep

Let it wash over me
I'm ready to lose my feet
Take me on to the place where one reveals life's mystery
Steady on down the line
Lose every sense of time
Take it all in and wake up that small part of me
Day to day I'm blind to see
And find how far
To go

Everybody got their reason
Everybody got their way
We're just catching and releasing
What builds up throughout the day

It gets into your body
And it flows right through your blood
We can tell each other secrets
And remember how to love

There's a place I'm going
No one knows me
If I breathe real slowly
Let it out and let it in
They can be terrifying
To be slowly dying
Also clarifying
The end where we begin

So let it wash over me
I'm ready to lose my feet
Take me on to the place where one reveals life's mystery
Steady on down the line
Lose every sense of time
Take it all in and wake up that small part of me
Day to day I'm blind to see
And find how far
To go

Everybody got their reason
Everybody got their way
We're just catching and releasing
What builds up throughout the day

It gets into your body
It flows right through your blood
We can tell eachother secrets
And remember how to love
Everybody got their reason
Everybody got their way
We're just catching and releasing
What builds up throughout the day

And it gets into your body
And it flows right through your blood
We can tell eachother secrets
And remember how to love

Hoje a minha preferida é... Amor Electro * Juntos Somos Mais Fortes...

Neste momento só me lembro de uma canção...


É o amor, correndo o mundo todo, em busca do calor
A noite espera pela hora do nosso esplendor
A luz acesa preparada para os dias de afeição
A mesa posta, a alma aberta
A chamar a multidão, a família em união

Juntos, somos mais fortes
Seremos o céu que abraça o mundo
Juntos, seremos a voz que acende o amor... o amor

Juntos, somos mais fortes
Seremos o céu que abraça o mundo
Juntos, seremos a voz que acende o amor... o amor

gatos e leões...



"Se tratas da mesma forma gatos e leões, um dia destes perdes um braço"
- provérbio tradicional da Tanzânia