John Cleese: dicas para ser criativo, por quem o é!

John Cleese é um humorista que já fez rir a maioria dos portugueses, Conheça-se ou não é uma figura incontornável e presente. Se falarmos em Monty Python talvez seja mais familiar. Neste vídeo de aproximadamente 10 minutos transmite-nos de forma sintética alguns ensinamentos que deveríamos ter para a vida.



Depois de ver o vídeo, listo um pequeno resumo dos momentos ou frases mais marcantes do discurso deste senhor:




1. Ser criativo

Todos os dias tento aprender algo de novo.
Meu Deus, sou criativo!

2. Ter brancas
Se me dava uma branca à noite, quando estava a escrever, ia para a cama.
Dormir sobre o problema e aparecer no dia seguinte a solução, era absolutamente extraordinário.

3. Reconstruir
Escrevi um script muito bom. Como sou desorganizado, perdi-o!
Comecei a escrever de novo. O que escrevi da 2.ª vez foi melhor. E mais rápido!

4. Quebrar
A coisa mais perigosa era ser interrompido, porque o fluxo de pensamento que se estava a ter não era reatado logo após a interrupção!
A chave para um processo criativo é evitar interrupções.

5. Ter ideias
É necessário ter a disponibilidade para sentir o click. Quando se sente o click, deve-se pegar nesse momento, e torná-lo sentido, trabalhado, reflectido, experienciado.
Mas se andam a correr todo o dia, com imensas actividades e stress, dificilmente terão qualquer ideia criativa.

6. Saber
A maior parte das pessoas que não faz a mínima ideia do que está a fazer, não faz a mínima ideia de que não faz a mínima ideia do que está a fazer.

7. Ser egoísta
Se as pessoas que mandam são muito egoístas, vão querer ter os louros de tudo o que acontece, e vão querer sentir que controlam tudo o que se passa e isso significa que, consciente ou inconscientemente vai haver um desencorajamento da criatividade nas restantes pessoas.


A resposta ao post "o criativo é inteligente! todos somos criativos?", é SIM.
TODOS SOMOS CRIATIVOS!
TODOS SOMOS CRIATIVOS!
TODOS SOMOS CRIATIVOS!

Temos apenas que trabalhar para isso! Claro que isto nos conduz a outra questão:
Qual a origem das ideias? "Bonito, adivinham-se mais complicações!"
Enviar um comentário