"dá-le" no osso e a ausência indevida

 SCP 1 - FCP - 1
O jogo de ontem foi mau de mais para ser verdade. O SCP, normalmente equipa que se preocupa em tentar jogar futebol, não conseguiu deixar de lado o facto de o seu ex-capitão regressar à sua ex-casa. Do público, é normal contar com este tipo de atitudes. Embora fosse agradável ver mais respeito pelo adversário, e atitudes de cidadania mais adequadas a um país que diz querer ser desenvolvido, ou civilizado. Começo desde logo por me convencer que as claques são um dos factores mais relevantes na destruição do futebol enquanto espectáculo de família. Bem, por enquanto nos sofás ainda se consegue ver um jogo. Sejam claques de que clube for, existe um poder de criar o pensamento de manada, em que pessoas que são "normais" ou decentes no dia-a-dia, se tornam perfeitamente anormais (sem aspas). Mas do público, estamos todos a contar com algumas situações destas. Mesmo sendo situações minoritárias (será?) têm um mediatismo muito superior.
Agora de profissionais de futebol, que fizeram uma autentica caça a um colega de profissão e de selecção, para alguns deles, parece-me que não será tão aceitável. Parece-me que não é esta a forma que o SCP terá para dar a volta às suas dificuldades. Estando de fora, não devo dar conselhos. Ok, não os vou dar. Vou apenas questionar: Será que se aplica "José Eduardo Bettencourt forever"? Deixo um "wishful thinking": Claro que sim!

Quanto à equipa de arbitragem, deixo aqui a análise feita no blog da bad girl no conselho que deu ao Villas-Boas: "Se, conforme afirmas, disseste ao árbitro que ele estava a ter uma "escandalosa e gritante dualidade de critérios", mereceste ter sido expulso. Não se atiram palavras com mais de três sílabas para dentro do campo. Um "isto é uma roubalheira, seu cabrão!" tinha evitado a percepção de insulto." 



Beira-Mar - SLB
Agora que se aproxima a hora do jogo, vamos ver se o SLB continua a dar ouvidos ao seu líder, e continua a não marcar presença nos estádios dos adversários. Aparentemente a falta de comparência em estádios alheios seria para o público. Parece que a equipa está a dar o exemplo, e se ausenta durante grande parte do jogo. Começou com o Lyon nos últimos 15 minutos mas, nos jogos seguintes têm aperfeiçoado a técnica, e já se conseguem manter ausentes durante a quase totalidade do jogo. (Veja-se FCP e a aquela equipa israelita). Em Aveiro, já sse viu que o público marcará presença. É positivo para o Beira-Mar, sem dúvida. Vamos ver como será em campo, visto que as belezas da ria, a gastronomia, e a noite de Aveiro são aliciantes. Com estes motivos, será mais fácil cumprir de novo com a mensagem do seu líder.

Mais informação em http://desporto.publico.pt/noticia.aspx?id=1468421
e http://www.ionline.pt/conteudo/90965-falcao-evita-derrota-do-fc-porto-em-alvalade
Enviar um comentário