otimismo!

Espero que este estudo tenha mais do que as 14 pessoas selecionadas. Caso contrário, não poderá ser considerado mais do que conversa de café, ou jantar de antigos alunos bem regado.
De qualquer forma, presentemente, é fundamental ter doses industriais de otimismo. É interessante ter a noção de que o cérebro é seletivo na escuta de argumentos. É interessante como aqui aplicam o conceito tão popular entre nós que se explica de uma forma muito sintética como "só acontece aos outros"! Há uns tempos dizíamos "só acontece aos gregos"! Agora, verificamos que mesmo com todo o otimismo, também nos pode acontecer a nós!


As pessoas estão divididas em otimistas e pessimistas. Embora haja um intervalo grande de valores entre o otimista mais puro e o pessimista mais militante. Os pessimistas também gostam de dizer que são realistas. Nada contra. Mas devem ter em conta que, independentemente do nome que queiram dar, há mais estudos, para além deste apresentado no público, que concluem que os otimistas têm, entre outras vantagens, uma maior probabilidade de viver mais tempo.
Como desconfio que este seja um blog muito frequentado pelo clero, deixo aqui um estudo apresentado sobre freiras, que vem confirmar a longevidade superior dos otimistas:
"um grupo de psicólogos analisaram uma história autobiográfica, escrita em 1900 por freiras que estavam a completar os seus votos finais antes de entrarem para um convento. Os cientistas descobriram que 90% do quadrante mais positivo ainda estava vivo aos 84 anos. Em contrapartida, apenas 34% do quadrante menos positivo estava vivo. Além disso, 54% do quadrante mais positivo ainda estava vivo aos 94 anos. E após terem estudado muitos outros fatores, o nível de otimismo era o único que tinha uma correlação significativa com a esperança de vida"
Também quero ser otimista!


Ficam as questões: Como podemos ser otimistas? Onde aprender?
Enviar um comentário