Um Ramsey para as rádios locais!



Não sei se por eventual acaso já visionaram o programa “Hell’s Kitchen” da SIC Radical, ao longo da semana, por volta das 21h30/22h. Gordon Ramsey, ex-jogador de futebol, é agora um (grande) cozinheiro, mundialmente (mediaticamente) conhecido, tendo já conquistado duas estrelas Michelin para os seus restaurantes. A quem não conhece o conceito do programa aqui fica uma pequena explicação: este (famoso) cozinheiro “convida” vários (supostos) chefes de cozinha americanos e coloca-os, em equipa, a “tentarem” cozinhar para um restaurante cheio. Digo tentarem porque, na verdade, e apesar de se assumirem como chefes de cozinha, a grande maioria não circula numa cozinha “como peixe na água” e muito dificilmente voltaríamos a um restaurante cuja cozinha fosse chefiada por tal “gente”! A estes, Ramsey aplica castigos pesados, ensina umas “coisas” engraçadas e premeia os que sabem.

 
Na passada semana, num deslocação a Coimbra, dou por mim a fazer zapping no rádio do meu carro. Cansado de deambular pelas habituais estações de rádio nacionais e tendo eu sido jornalista numa cadeia de rádios regionais, decidi conhecer o que (de melhor) se faz na radiodifusão local e regional da zona centro do país.

Vou-me abster de nomes, para não ferir suscetibilidades, mas a verdade é que é muito mau!!!!! 

Anúncios publicitários com a música mais alta que a voz do locutor, onde a mensagem simplesmente não passa! (E pagam os clientes para isto…) A voz do mesmo locutor em cinco ou seis publicidades seguidas, sem se perceber onde começa uma e acaba a outra! (E pagam os clientes para isto…) Aquela voz falsa de rádio que ninguém aguenta, a imitar os locutores dos passados anos 60! (E pagam os clientes para isto)…

Inebriado com tamanha… tamanha… qual será mesmo a conceito a aplicar aqui? Tamanha “porcaria”! Dei comigo a pensar que a radiodifusão local e regional da zona centro do país precisava de um Ramsey da Rádio!

Mas, ainda há mais: publicidades cuja música de fundo é a mais conhecida atualmente e que mete o ouvinte a cantarolar a música e a não ouvir a mensagem… (E pagam os clientes para isto…) Informação lida integralmente do site do SAPO, com todos os pontos e vírgulas (ou não…), durante uns longos 12 minutos e sem qualquer RD (esta expressão na gíria da rádio é o nome dado ao excerto do som das entrevistas recolhidas pelo jornalista)… 

Mas, a cereja em cima do bolo estava ainda para vir:

“O programa transmundial de Portugal” 

Transmundial de Portugal??? Expliquem-me que esta eu não entendo. Se é transmundial, como é que pode ser de Portugal?

Mas, ainda não era tudo. O locutor anunciava: “já a seguir meia hora a falar de um livro”.

E pensei eu: meia hora a falar de um livro. Será que entendi bem?! Meia hora?! Contudo, respirei fundo e pensei: dá tempo aos senhores e vamos ver o que aí vem. Até pode ser que tenha entrevistas e que seja audível!

Estava (redondamente) enganado! Era apenas acerca de um livro: a bíblia! Por azar não fixei o nome do autor do programa. O que se seguiu foi meia hora penosa de rádio! O senhor que dizia "coisas" do género: “na bíblia há dez mandamentos. Não matarás; não roubarás; e… hum… outras coisas assim…”, começou a misturar a religião, os dez mandamentos e o  mundo empresarial atual e deu: asneira! Insinuou que, ao abrigo da bíblia e sobretudo dos dez mandamentos, os empresários portugueses aproveitam-se para "escravizar" os funcionários... foi o terror! Um suplício!

Se encontrarem por aí um Ramsey das rádios, por favor, mandem-no à zona centro do país! Obrigado :)
Enviar um comentário