Dói-me o corpo todinho!


"Um homem foi ao médico. Estava cheio de dores e sabia que tinha que recorrer a um especialista.
Com um ar muito preocupado, disse ao médico que devia estar mesmo para passar para o outro lado, pois doía-lhe o corpo todo. Em qualquer local que tocasse com o dedo, era dor pela certa. Dizia ele: "Veja Dr.! Carrego no peito e dói-me, carrego na testa e dói-me. Carrego no braço e dói-me. A barriga... Dói-me! Dói-me em todo o lado em que carregue!
Depois de observar o seu paciente, disse com um ar muito circunspecto: "Meu caro, o que se passa é que tem um dedo partido!"

Este é um problema recorrente. Sabemos quais são os sintomas, dizemos quais são os sintomas, tiramos as nossas conclusões lógicas e racionais e... zuca truca, não resolvemos nada. Metemos paracetamol em barda pela goela abaixo, a dor atenua durante 6 a 8h e, passado este tempo, lá aparecem os sintomas de novo. Não resolvemos nada, mas atenuamos momentaneamente a dor.

É por isso que é tão importante analisar as causas de forma detalhada e profunda. Se não eliminarmos a causa (dedo partido), e a nossa intervenção for apenas sobre o problema (dor sentida), podemos andar a tentar eliminar repetidamente a dor sem tratar o dedo. No entanto, o mais habitual é estarmos focalizados no problema (dor pelo corpo todo), e esquecermos de atuar de forma eficaz na eliminação da causa do problema (dedo partido). Simultaneamente, pode-se atenuar ou resolver o próprio problema (diminuir as dores do dedo partido).

Como dizia o outro:  "O problema não é o problema. O problema é a nossa atitude em relação ao problema!" 

É muito positivo que ver algumas organizações procuram encontrar as causas do problema, para as eliminar (causas) e elevar a sua (organização) atuação a um nível superior, deixa-me sempre "encantado". É a diferença entre um problema se manifestar de novo... e de novo... e mais uma vez, ou deixar de existir. Felizmente, há várias empresas que se esforçam por atuar sobre as causas, melhorando eficazmente o seu desempenho.

Para eliminar um problema de vez, procuremos as suas causas, não os sintomas. Depois de determinar as suas causas, temos que estar conscientes das palavras de Friedrich Schiller que nos dizia: “Não temos em nossas mãos as soluções para todos os problemas do mundo, mas diante de todos os problemas do mundo temos nossas mãos.”! 
Enviar um comentário