A roupa faz a diferença?


"Sem maiores preocupações com o vestir, o médico conversava descontraído com o enfermeiro e o motorista da ambulância, quando uma senhora elegante chega e de forma ríspida, pergunta: 
- Vocês sabem onde está o médico do hospital?
Com tranquilidade o médico respondeu:
- Boa tarde, senhora! Em que posso ser útil?
Ríspida, retorquiu:
- Será que o senhor é surdo? Não ouviu que estou procurando pelo médico?
Mantendo-se calmo, contestou:
- Boa tarde, senhora! O médico sou eu, em que posso ajudá-la ?!?!
- Como?!?! O senhor?!?! Com essa roupa?!?!...
- Ah, Senhora! Desculpe-me! Pensei que a senhora estivesse procurando um médico e não uma vestimenta....
- Oh! Desculpe doutor! Boa tarde! É que... Vestido assim, o senhor nem parece um médico...
- Veja bem as coisas como são...- disse o médico -... As vestes parecem não dizer muitas coisas, pois quando a vi chegando, tão bem vestida, tão elegante, pensei que a senhora fosse sorrir educadamente para todos e depois daria um simpaticíssimo “boa tarde!"; como se vê, as roupas nem sempre dizem muito..."


A maioria de nós concordará, se eu disser que o carácter é mais importante do que a roupa. A arrogância, a soberba que podemos constatar nesta história demonstra uma falta respeito pelo outro que é, no mínimo, atroz, independentemente da roupa usada. 

Há um aforismo que nos diz que "Um dos mais belos trajes da alma é a educação." Sendo assim, porque valorizamos tanto a roupa? A roupa é, de facto, importante? Porquê?
Enviar um comentário