Quando 15 EUR é extremamente caro para o comum dos mortais!




Cultura sim, mas a que preço?

Permitam-me contextualizar que sou um defensor acérrimo da cultura e sobretudo nos pequenos meios, descentralizados. Aliás, defendo mesmo que é na cultura e na educação que está o motor de desenvolvimento de um Povo.
Muito embora este assunto possa dar “pano para mangas” e obviamente trazer opiniões contrárias à discussão pública (o que é ótimo, porque não podemos nem devemos andar todos a pensar e a defender o mesmo…), hoje queria centrar-me no preço que se paga para ter acesso à cultura!

Um dia, uma grande amiga minha, quando em Nice assistíamos a um teatro de rua gratuito, “atacou-me” quando desculpei a incompetência dos atores com o facto de o teatro ser gratuito! Entendia eu, na altura, que por ser gratuito podia ser fraco!
Depois de uma grande lição de vida e de experiências gratuitas e melhores, percebi que há eventos culturais que, ainda que gratuitos, são de extrema qualidade.

Durante sete anos em Macedo de Cavaleiros, onde a melhor coisa que existia na cidade era o Centro Cultural, com atividades todos os fins-de-semana e a preços simbólicos de 2 ou 3 EUR, mais ainda me habituei a boa e acessível cultura! Vi Simone de Oliveira, vi Raúl Solnado, vi Orquestra do Norte, vi Marisa… (e continuava por aí fora porque sete anos é muito tempo…) ou gratuitamente ou a 2 euros. 

Hoje, achava eu que inserido numa região “mais evoluída” fosse mais facilitado o acesso à cultura. No entanto, pago alto o preço da cultura!
Aplaudo que existam espaços culturais na zona centro, porque existem e têm qualidade, mas ver Ana Moura a 15 EUR por pessoa, nos dias de hoje, nos tempos que correm, com a crise, com a Troika, com o aperto do cinto, com o contar dos tostões ao final do mês, com a subida dos infantários, com a subida do gasóleo, com a subidas das taxas nos hospitais, com…, com…, com…é caro demais para o comum dos mortais!



Imaginemos o que ficaria a faltar na despensa lá de casa se fosse ver Ana Moura com a minha esposa, ou seja, menos 30 EUR no orçamento mensal: (tudo marcas brancas)

1kg de arroz: 0,74
§     0.74 EUR
1kg de Douradas (peixe)
§     5,48 EUR
120g fiambre de frango
§     1,02 EUR
300g de brócolos
§     0,50 EUR
8 iogurtes
§     3,70 EUR
12l de leite
§     6,00 EUR
Queijo fatias
§     1,99 EUR
Fraldas n.º4   (76 unidades)
§     9,99 EUR
Pasta de dentes infantil
§     0,99 EUR
Total
30,41 EUR

                          Fonte: Continente on line
Infelizmente, cada vez mais a cultura será apenas para uma elite! E eu insisto: o desenvolvimento é como um avião com dois motores, sendo que um é a cultura e o outro a (boa) educação!

Enviar um comentário