Cegueira



Poderemos dizer que hoje não estou nos mais agradáveis dias. Mas, como há quem goste de adicionar limão nas saladas de fruta, sendo hoje um dia mais amargo, não resisti em partilhar com vocês as minhas palavras. 
Hesitei… pensei em não fazê-lo… 
Hesitei porque o Meababel tem sobretudo posts de incentivo, de ânimo, de vivacidade, mas como considero que reflete o estado de espírito de muitos de nós, acabei por considerar acertado partilhá-lo. 

Contudo, partilho-o com a certeza de que se trata (ou tratou) de um sentimento momentâneo, efémero, passageiro! Toca a arrebitar!

Cegueira

Sinto-me aprisionado,
Nas minhas próprias amarras.
Estou amarrado em mim,
Estou amarrado de mim,
Estou amarrado por mim!

Foi nó dado às cegas.
Fui cego, pelo nó cego que dei.
A cegueira corrói…

A gota de ácido forma-se.
Levanto a cabeça e já a vejo.
Pressinto que se aproxima e que toca,
Na pele que não existe,
Na ferida que persiste…
E não na corda…
Não no nó!

Miguel Midões – 20.05.2013
Enviar um comentário