Fair Play: Crónica de Ribeiro Cristóvão



Há exemplos de atitudes na via que devem ser o mais difundidos que conseguirmos. Normalmente, estamos mais recetivos a problemas, a questiúnculas e às histórias negativas. Mas o pensamento positivo e olhar com prazer para o bom que a vida nos dá, ajuda-nos a encarar a vida de uma forma mais fácil. Numa terra que, por ironia, se chama Burlado, estado em que muitos de nós se sente, nos últimos tempos/anos, aconteceu mais um desses grandes momentos. 

Afinal, podemos continuar a ter fé no Ser Humano.

"Um exemplo de vida

Deixem-me hoje partilhar convosco uma história recente ocorrida aqui ao lado, em Navarra, onde decorria uma prova de Cross Country com a participação de diversos atletas espanhóis e estrangeiros, entre os quais alguns cotados corredores africanos. Com o percurso quase a ser cumprido, o queniano Abel Mutai, medalha de ouro nos 3.000 metros obstáculos nos Jogos de Londres, seguia na frente destacado. Preparava-se para ganhar a corrida quando, inadvertidamente parou por engano, julgando que tinha alcançado a meta. Foi então que, vindo de trás, o atleta espanhol Ivan Fernandez Anaya em lugar de ultrapassar o corredor queniano, gesticulando,  chamou a sua atenção e conduziu-o até ao fi o da chegada. Mutai acabou por vencer, como teria acontecido se não se tivesse enganado sobre o percurso. Por outras palavras, Fernandez Anaya recusou-se a acelerar e conquistar a prova, vindo a alcançar apenas o segundo lugar, respeitando assim a lógica do final da corrida. Ivan Fernandez, considerado um atleta de muito futuro, campeão de Espanha nos 5.000 metros, afirmou no final do Cross Country de Burlado, que ainda que viesse a conquistar um lugar na selecção espanhola com o primeiro lugar naquela corrida, não teria aproveitado, o que veio reforçar ainda mais o seu carácter de atleta de eleição.
“Eu não merecia ganhar. Fiz o que tinha a fazer”, palavras suas. Passados vários dias, a história continua a ser exaltada em muitos  noticiários e nas redes sociais, numa justa homenagem a um verdadeiro acto de honestidade.
Porque não são frequentes gestos como este na actividade desportiva, onde tantas vezes vencer, mesmo a qualquer custo, se apresenta como valor supremo, é reconfortante falar hoje aqui de Ivan Fernandez Anaya e deste exemplo que nos deixou.
Por isso, o atleta espanhol merece toda a sorte do mundo."

Crónica de Ribeiro Cristovão no Página 1 de 18/04/2013


Enviar um comentário