Euro 2012: Estamos na final

Estamos na final do EURO 


Domingo é a final do Euro 2012.
Nós estamos na final! Não com a equipa de todos nós, que já chegou à nossa praia e foram recebidos como heróis. Merecidamente! Mas Pedro Proença vai acompanhar Espanha e Itália (sim, Itália! Já! A Alemanha já foi para casa! Não! Não estou enganado! Eu sei! Platini dixit! Errou! Sim, preferia que tivesse errado no outro finalista!).
Extraordinário o facto de um árbitro ir à final da Liga dos Campeões e à final de uma competição desta dimensão ao nível das seleções. Só pode ser o reconhecimento de que também é um fora de série da arbitragem! Arbitra, normalmente, no campeonato português. Mais extraordinário se torna quando é motivo de rompimento com as tradições. Países que chegassem às meias-finais teriam os seus representantes da arbitragem de volta às origens. Neste Euro, optou-se por ter os melhores de reserva, mesmo tendo os seus países na prova. É uma mudança positiva!

A Itália



Estão duas grandes seleções na final. Qualquer uma pode ganhar. A seleção espanhola continua igual. A Italiana é que trouxe um grau de novidade interessante para este Euro: deixou de ser essencialmente defensiva e exageradamente estratega, para ser mais ofensiva e permitir a inclusão de loucos de forma harmoniosa. Já falamos da loucura e inimputabilidade do Balotelli mesmo aqui, mas neste Euro, é justo salientar a sua genialidade. Proporcionou momentos absolutamente fantásticos e qualquer dos golos com a Alemanha, representa genialidade e um dom ao alcance de poucos, que o vai catapultar para estar nas short-lists dos melhores jogadores do mundo. Está aqui um potencial substituto de CR7 (o nosso Ronaldo que fez um Euro absolutamente magnífico).

Heroes com uma camisola fantástica:

Espero que o branco passe a ser a camisola principal da nossa seleção. É mais fácil explicar a crianças que somos de uma cor todo o ano e que defendemos uma cor diferente nestes períodos. Mas esta camisola é, provavelmente a 2.ª mais espetacular que a seleção já teve. A que mais gostei foi de uma camisola preta.
Não pude receber a nossa seleção no aeroporto, mas fica uma homenagem aos nossos heróis:



Enviar um comentário