O fim do Messenger






Normalmente, estamos atentos ao surgimento de novos produtos, sendo a descontinuidade de um produto deixada um pouco à margem da exposição mediática (becomes me da Munna; socas da Xuz, vinho sem alergias da Universidade de Aveiro, batatas fritas, ou nespresso).

No caso do messenger, apesar de não o utilizar há mais de 2 anos, sinto que é o fim de algo que em determinada altura foi importante na conversação com amigos e conhecidos. Provavelmente, foi o precursor das redes sociais. Assim, mesmo com a falta de utilização de longa data, existe um certo sentimento de perda.

Se se quiser reviver momentos de nostalgia, será bom que sejam vividos até Março de 2013, pois a partir desta data, terá algumas das suas funcionalidades integradas no skype, adquirido pela Microsoft em 2011. Por mim, considero que teve um papel importante, mas já dei o passo em frente há algum tempo.

"The King is dead. God save the King"

Ver mais em:












Enviar um comentário