produtos portugueses: É possível viver só com "o que é nosso"?


O i tentou sobreviver um dia inteiro só com produtos portugueses. Um exercício interessante, em que se pode ver no artigo das dificuldades em viver exclusivamente com artigos exclusivamente portugueses. Mesmo com o objetivo bem presente, houve dificuldades, nalguns momentos, em utilizar estes produtos. Gostei do exercício que, sendo extremado, nos dá linhas de orientação para tomarmos consciência do que consumimos e sobre as suas origens, a maioria das vezes desconhecida por nós. Sem necessitar do extremismo aqui apresentado, podemos alterar alguns dos nossos hábitos de compra, sem alterar em nada o dia a dia. Basta ter em atenção se o produto é português ou não. Já faço isto com a maioria da fruta e dos legumes. O sabor dos produtos portugueses, normalmente, levam a melhor sobre os importados. Não deixando de observar aspetos essenciais, como o preço, a qualidade e a disponibilidade, o próximo passo que vou dar, é com os têxteis e com os sapatos. Tão bons ou melhores que os de fora. Apesar disso, ainda têm uma grande necessidade de ter nomes em italiano, ou em inglês, o que pode dificultar esta tarefa. Nem sempre é fácil identificar a origem. Lembro-me, de repente de 2 casos: a marca de sapatos "Fly London", e a marca de roupa "Giovanni Galli". Fico grato se me indicarem mais marcas portuguesas com nomes "estrangeiros" para que a lista possa aumentar, e mais facilmente comprar "o que é nosso"!
Enviar um comentário