Como correr 40 minutos? My way!


No post http://meababel.blogspot.pt/2014/08/como-correr-40-minutos.html, estão definidos os fundamentos para começar a correr e a ligação para um programa especifico e gradual que me vai ajudar a atingir os 40 minutos, objetivo impossível há 1 mês atrás, segundo as minhas crenças mais profundas.

O diagnóstico:
O processo começou com um teste à capacidade do momento. Devia correr até aguentar e, mediante o n.º de minutos que aguentasse a correr, entrava em determinado patamar. Um diagnóstico simples. Apesar da sua simplicidade, entrei a errar desde o primeiro momento. Sabia  o quão importante é o aquecimento. Não só pela leitura do programa, mas pela prática de outros desportos praticados há tanto tempo que me esqueci de valorizar o dito aquecimento. Quando apareceu um amigo a correr e me convidou para ir andando com ele, o aquecimento foi-se. Foi a primeira e a última vez que tal aconteceu. Não sei se teve influência no meu desempenho ou não, assim como o facto de ir acompanhado teve também, provavelmente, influência.

O resultado foi 6 minutos até os bofes sairem boca fora! Conclusão comecei no equivalente à terceira semana do teste.

A corrida:
O processo é simples: um bom aquecimento (não esquecer) e séries de 3 minutos de corrida intervaladas com 3 minutos de marcha! Confesso que neste primeiro dia, fiquei com as pernas a doer ao fim de 10 minutos. Curiosamente, ou não, ao terceiro dia as pernas começaram a ir abaixo aos 20 minutos. Foi interessante ver a evolução e sentir que poderá acontecer!

O 4.º dia, cuja série era igual ao 3.º dia, foi bem complicado. Uma saída até terras do Planalto Mirandês, e o usufruto da hospitalidade e gastronomia da zona, fez com que o peso aumentasse significativamente. Essa, foi uma corrida que, apesar de chegar até ao fim, resolvi repetir para me sentir mais confortável e sólido na evolução!

O dia que me custou mesmo, foi no dia seguinte a ter saído com um amigo para uma mariscada, regada com litradas de cerveja e com cerca de 5 horas dormidas. Poder-se-ia tirar daqui a conclusão óbvia de que o marisco faz mal às pernas.

Nos últimos dias, tem sido mais difícil fazer a primeira série, as pernas parece que doem muito mais, do que as séries seguintes.

No dia a seguir ao Equilibra-te, organizado pela Associação CADES, com várias modalidades desde a dança, ao treino de Fitness de alta intensidade, foi a caminhada do Night Runners da Mealhada, o que dá sempre para relaxar entre corridas. Na terça, 11.º dia de programa, a primeira série parecia que não terminava. 7,5 minutos dolorosos e que custaram. Curiosamente, no final parecia que estava em condições de fazer mais uma ou duas voltas. Sempre a um ritmo lento, análogo ao Adagio na música!

My way:
Confesso que o que mais me tem custado neste processo gradual, é recusar alguns convites para correr! Gente boa e que ajuda a motivação do processo, e que o torna mais fácil, quer correr comigo, o que é uma honra enorme. Eu também quero correr com toda essa gente boa, mas quando tiver pedalada para acompanhar minimamente esta gente solidária e que gosta de ajudar! É que correr acompanhado parece-me ser muito mais divertido do que correr sozinho. No entanto, o caminho tem as suas etapas específicas e sem estes passos, dificilmente poderia correr sozinho ou acompanhado. E tem sido uma aprendizagem importante saber dizer não. Todos ficamos mais satisfeitos com o resultado do não, mesmo que disso não tenhamos consciência.

Claro que gostava de estalar os dedos e de estar em forma para fazer 1 hora de corrida a ritmo Vivace, mas não é assim que as coisas se passam. Tenho que passar pelo processo até ficar apto. Eu estou a passar pelo processo by the book, para assegurar que consigo lá chegar. Nessa altura, serei eu a convidar-vos para corrermos juntos e podermos usufruir de saúde mais robusta e relações mais sólidas por via do desporto.

Até breve, numa corrida de 40 minutos!!!
Enviar um comentário