Quebra-Costas e o Património Mundial da Humanidade com Jazz

Depois de alguns anos sem noites de Quebra-Costas, estive lá há 2 meses e ontem voltei. O mítico Quebra Costas Bar está inserido num espaço absolutamente místico, que está integrado na zona classificada como Património Mundial da Humanidade e que, para um leigo como eu em questões musicais, permite uma acústica próxima do divino.

A boa companhia, a boa música com os JPN Trio e o cenário sublime promove um serão próximo da perfeição.

Não foi Radler com Jazz, mas foi Bohemia com Jazz.

Dia 18/07 lá estarei para ver o concerto do Mário Laginha. Vou fazer um pedido especial ao dono do bar para ver se já dá para ver Mário Laginha com Radler.

Vejam como foi:





Enviar um comentário