Earworm XXV

Celebra-se hoje (2 de Novembro), em Portugal, o «Dia dos Finados».
No México, dá-se-lhe o nome de «Dia de los Muertos»; celebração de origem indígena que, em 2008, foi reconhecida pela UNESCO, sendo integrada na lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade. 
Ao contrário da nossa tradição no que respeita ao "estado de espírito", no México, este dia é vivido com enorme alegria porque acredita-se que os mortos vêm visitar os seus parentes, celebrando-se este "facto" com muita música, enfeites, flores, comida, trajes e explosões de cores que salpicam cada casa, cada sala, cada mesa ou altar de oferendas.
Uma das comidas que se tem por costume fazer é o «Pan de Muerto». Deixo a receita para quem se queira dedicar à arte de bem receber quem já partiu:


  • 30gr de levedura;
  • 3 colheres de sopa de água;
  • 6 chávenas de farinha;
  • 6 ovos;
  • 1 lata de leite condensado;
  • 4 gemas;
  • 250gr de manteiga;
  • 2 colheres de sopa de água de flor de laranjeira;
  • 1 ovo para pincelar;
  • Açúcar necessário para polvilhar.

Dissolva a levedura em água morna e junte meia chávena de farinha. Forme uma pasta e deixe repousar durante 15 minutos. Cubra com um pano húmido até que duplique de tamanho.
Ponha o resto da farinha em monte em cima da mesa e faça uma pequena cova no centro. Aí ponha os ovos, o leite condensado, as gemas, a manteiga e a água de flor de laranjeira. Misture com as mãos e vá juntando a massa de levedura que esteve previamente em repouso. Amasse até que se despegue da mesa sem deixar nenhum resíduo. Coloque-a num recipiente ligeiramente untado e deixe repousar durante 2 horas para que duplique de tamanho.Divida a massa em 4 partes e corte uma pequena quantidade de massa de cada uma delas, que servirá para a decoração. Dê à massa a forma de lágrimas e suspiros e decore com a porção de massa retirada em forma de fogaça. Deixe repousar num lugar morno até que duplique de tamanho. Barre com ovo e polvilhe com açúcar. Pré-aqueça o forno a 200 graus e deixe cozer entre 25 a 30 minutos, até que doure.*

*Retirado do livro «À mesa com Frida Kahlo», de Luz Martínez. 


Salma Hayek (voz) - La bruja

Enviar um comentário