Earworm XXII



Feliz o momento em que nos sentarmos no palácio,
Dois corpos, dois semblantes, uma única alma
Tu e eu

E ao adentrarmos o jardim, as cores da alameda
E a voz dos pássaros nos farão imortais
Tu e eu

As estrelas do céu virão contemplar-nos 
E nós lhes mostraremos a própria lua
Tu e eu

Tu e eu, não mais separados, fundidos em êxtase,
Felizes e a salvo da fala vulgar
Tu e eu

As aves celestes de rara plumagem
Por inveja perderão o encanto
No lugar em que estaremos a rir
Tu e eu

Eis a maior das maravilhas que tu e eu,
Sentados aqui neste recanto, 
Estejamos agora um no Iraque, outro em Khorassan
Tu e eu.


Jalal ad-Din Muhammad Rumi (1207-1273)





NU - Man o to
Enviar um comentário